A Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) constituiu duas empresas, uma dedicada à gestão comercial e outra às infraestruturas, além da focada na centralização dos direitos televisivos, que hoje reúne pela primeira vez.

A Liga Centralização foi criada em 02 de setembro último, na sequência do diploma do Governo que decreta a comercialização centralizada dos direitos televisivos dos jogos da I e II Ligas de futebol a partir da época 2028/29, aprovado em Conselho de Ministros em 25 de fevereiro.

A LPFP anunciou a realização durante o dia de hoje da primeira reunião do conselho de administração desta empresa, tendo em vista a preparação do processo associado à centralização dos direitos audiovisuais das competições profissionais de futebol.

Noutro comunicado, o organismo revelou a criação das duas novas empresas, uma dedicada à comercialização, que tem “por objetivo o licenciamento, conceção, produção de produtos relacionados com as competições desportivas profissionais organizadas pela LPFP, bem como ser um vetor de receita e de rentabilização dos ativos e produtos das suas sociedades desportivas”.

A outra unidade empresarial visa gerir a futura sede da LPFP, a construir na Rua de John Whitehead, em Ramalde, no Porto, cujas obras devem estar concluídas em 2023.

“A Liga Infraestruturas vai permitir potenciar o património imobiliário e fazer a gestão da nova casa do futebol profissional português, situada no Porto, tal como dos inúmeros grandes projetos que esse investimento trará de uma forma positiva para todos os seus intervenientes”, lê-se na apresentação da empresa.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.