A Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) assegurou hoje estar "dentro dos prazos regulamentares para apreciar e enviar" o recurso de Vitória de Setúbal, que foi impedido de se inscrever nas competições profissionais.

Em comunicado, a LPFP detalhou a cronologia do processo, referindo que "o recurso do Vitória Futebol Clube deu entrada na sede da Liga na passada segunda-feira" e que na terça-feira o organismo que regula o futebol profissional "citou os terceiros interessados, Portimonense, Cova da Piedade e Casa Pia, aos quais conferiu três dias úteis para se pronunciarem quanto aos argumentos apresentados" pelo clube sadino.

Após receber as "oposições dos interessados", a LPFP tem três úteis para "sustentar a sua decisão" e remeter o processo para o presidente do Conselho de Justiça, conforme está expresso no artigo n.º 4 do Regulamento das Competições.

"Assim, dúvidas não restam de que a LPFP está dentro dos prazos regulamentares para apreciar e enviar o recurso do Vitória Futebol Clube", concluiu o organismo.

O Vitória de Setúbal foi impedido de se inscrever nas competições profissionais, depois de a Comissão de Auditoria da Liga ter reprovado os processos de licenciamento, alegando que o clube não cumpre os requisitos necessários.

O clube setubalense contestou esta decisão, considerando que "os prazos concedidos foram insuficientes" e acusou a LPFP de violar o "princípio de igualdade, do procedimento justo e equitativo e o da imparcialidade da administração".

Os sadinos adiantaram ainda que apresentaram um documento atestando a ausência de dívidas a outras sociedades desportivas e que, a nível contributivo, existe um acordo de pagamento com a Autoridade Tributária.

O Vitória de Setúbal tinha assegurado a permanência, ao ser 16.º classificado da I Liga, mas neste momento está fora das provas profissionais, tendo recorrido para o Conselho de Justiça (CJ) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

Por seu lado, o Desportivo das Aves, que foi 18.º e deveria ser relegado para a II Liga, também foi despromovido ao Campeonato de Portugal, sendo que nem sequer recorreu da decisão.

A Liga convidou o Portimonense, que tinha sido 17.º posicionado e despromovido, a manter-se na I Liga e o Cova da Piedade e o Casa Pia a manterem-se na II Liga, depois de terem sido despromovidos administrativamente, com o cancelamento do segundo escalão, devido à pandemia de covid-19.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.