O presidente e candidato às eleições da Académica, José Eduardo Simões, apresentou hoje um programa que considerou ambicioso, mas assente na obra feita desde 2002.

Eduardo Simões começou por salientar o facto de o clube ter saído de um estado de falência em 2002 e o percurso de sucesso desde então, lembrando os 10 anos consecutivos na primeira Liga, na construção da Academia Dolce Vita, na gestão do Estádio, após a insolvência da TBZ em 2008, no alcance de duas meias-finais da Taça da Liga e da Taça de Portugal, na subida do Futsal à I Divisão, entre outros êxitos.

Em relação ao futebol profissional, as medidas que apresentou para o próximo mandato são «a classificação entre os primeiros 8 lugares na tabela», a qualificação para a «fase de grupos da Taça da Liga» e o apuramento para «uma final de uma competição nacional».

Para tal, a escolha do treinador da equipa de futebol deverá recair em alguém com um perfil de sucesso, na senda de técnicos como Domingos Paciência (7º lugar) e André Villas-Boas, e numa equipa assente em jovens da Formação e jogadores de «qualidade e ambição».

A realização de um Congresso da Académica em 2013 e a captação em toda a Região de Coimbra de jovens até aos 14 anos, de estudantes universitários, de jovens das escolas e nas autarquias, bem como atrair as famílias aos jogos da Académica são outros objectivos para colmatar a baixa de assistências nos últimos anos.

Na formação, o primeiro objectivo é a subida à I Divisão da equipa de juniores, o atingir de fases finais em outros escalões e a integração anual de dois atletas de formação, em média, na equipa sénior.

Quanto a equipamentos, pretende construir um relvado de onze e um campo sintético na Academia Dolce Vita, além de requalificar o Pavilhão Jorge Anjinho.

Hoje mesmo, José Eduardo Simões revelou que teve uma reunião com o Magnifico Reitor da Universidade de Coimbra no sentido de a Académica encontrar parcerias para, em conjunto, requalificar o Estádio Universitário de Coimbra para lá se realizarem jogos dos escalões da Formação.

Pretende manter uma gestão rigorosa e eficiente do Estádio Cidade de Coimbra, a criação de uma sala de troféus, desenvolver a marca Académica em termos de marketing e no Bingo e potenciar o Estádio e a Academia para grandes eventos.

O presidente criticou ainda a lista opositora, a de Maló de Abreu, apelidando-a de irrealista na proposta da constituição de um fundo de investimento de 10 milhões de euros em jogadores e numa televisão por cabo, garantindo que este projecto apenas dará prejuízos e exemplificando com a Benfica TV.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.