Depois de dois empates nas duas primeiras jornadas (Olhanense e Rio Ave) e sem ter ainda marcado golos, o Vitória defronta um Nacional moralizado por duas importantes vitórias (Rio Ave e Benfica), que lhe dão a co-liderança da Liga com o FC Porto, mas nem por isso Manuel Machado é menos ambicioso.

“Não vejo porque o Vitória não possa ganhar na Madeira. Tivemos algumas dificuldades no primeiro jogo, em Olhão, alguma melhoria com o Rio Ave e penso que a equipa vai dar continuidade a esse crescimento”, vaticinou a conferência de imprensa de antevisão da partida.

Técnico do Nacional nas últimas duas temporadas, Manuel Machado admite que conhece como poucos o adversário de sábado, mas notou que entraram novos jogadores e que, nos últimos jogos, “cerca de 50 por cento” da equipa insular era nova.

“Jogar na Choupana é sempre difícil para qualquer equipa, como ainda agora se viu com o campeão nacional [Benfica], mas cada jogo tem um perfil diferente, cada equipa põe problemas novos e temos argumentos diferentes do Benfica que nos podem permitir discutir o jogo e ganhá-lo, é com essa ambição que nos deslocamos lá”, afirmou.

Instado sobre se esperava mais do início do campeonato tendo em conta que o Vitória foi a primeira equipa a começar a temporada, há mais de dois meses, Manuel Machado disse que não dadas as muitas mudanças operadas no plantel e que estas condicionam a evolução da equipa.

“Há regras no futebol que quando são feridas levam a este tipo de situação. As grandes revoluções nos grupos de trabalho implicam a necessidade de muito tempo. O óptimo é mudar três, quatro, cinco jogadores, mas quando se mudam 15, 16 ou 17, já nem sei quantos são, é evidente que a construção da equipa fica condicionada no tempo”, frisou.

O técnico reiterou que uma equipa “constrói-se com muito trabalho e paciência” e assegurou que “em breve, a partir da sexta ou sétima jornada, se não houver mais lesões, a equipa vai estar muito mais conseguida e muito mais forte”.

Manuel Machado sublinhou ainda que o plantel do Vitória “não está fechado” e sobre a saída do defesa central Valdomiro (clube e jogador rescindiram hoje amigavelmente na sequência do processo disciplinar na semana passada), revelou não ter sido ouvido e que apenas o futuro pode dizer se é ou não uma grande perda para a equipa.

A comitiva vitoriana viaja sexta-feira de manhã cedo para a Madeira onde a equipa realiza um treino, no Estádio da Ribeira Brava, às 18:00 locais.

O encontro entre o Nacional e o Vitória de Guimarães realiza-se sábado, pelas 19:15, no Estádio da Madeira.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.