O Ministério Público recusou o acesso da Comissão de Instrutores da Liga aos ducmentos do chamado caso dos e-mails. Em causa estarão os trâmites processuais mas também a questão de algumas vias de investigação não serem do domínio público.

Segundo avança o jornal O Jogo, apesar de já terem sido revelados muitos dos conteúdos dos e-mails, a verdade é que a Polícia Judiciária quer manter algumas das partes mais importantes da investigação sob segredo.

Fonte da Liga confirmou à publicação que o organismo recebeu uma notificação do Ministério Público, referindo que os documentos solicitados pela organização vão manter-se encerrados e selados.

Esta recusa será um dos principais obstáculos para que possa ser aplicada uma ação desportiva para este caso.

Recorde-se que cabe à Comissão de Instrutores a recolha de provas e depoimentos, bem como propor uma sentença que, depois, o Conselho de Disciplina da FPF ajuizará.

O caso dos e-mails remonta a maio deste ano e, desde então, tem alargado o seu âmbito, à medida que foram descobertos mais mensagens trocadas entre dirigentes do Benfica e outros elementos externos ao clube.

Na última semana, foram divulgados cerca de cinco ml mensagens de Pedro Guerra, comentador e antigo funcionário do Benfica.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.