José Mourinho concedeu uma entrevista ao jornal desportivo 'A Bola' na qual aborda o risco de o Vitória de Setúbal, o seu clube do coração, descer para o Campeonato de Portugal.

"Sinto-me muito apreensivo. É muito difícil, para mim, assimilar esta situação. Eu vi e joguei no sofá os dois últimos jogos do Vitória, contra o Sporting e o Belenenses. Considero que o Vitória fez 4 pontos brilhantes, principalmente o empate em Alvalade, que era fundamental para manter as coisas sob controlo, no sentido de dependermos apenas de nós próprios. Depois, o jogo com o Belenenses, onde era crítico resistir à pressão emocional inerente a um jogo que valia uma época. A verdade é que os jogadores se superaram nestes dois jogos que garantiram a permanência e festejei com eles e com todos os vitorianos. Por isso, uma vez conseguida a manutenção dentro das quatro linhas é agora, para mim, muito complicado encarar esta nova situação de podermos descer na secretaria. A verdade é que não estou, como vitoriano, a conseguir assimilar esse risco de descida ao Campeonato de Portugal que agora se coloca", lamentou o treinador do Tottenham.

Quanto à solução para o problema que os sadinos enfrentam, Mourinho acredita que é lutar. "Acredito, essencialmente, que teremos de lutar e que ficaremos no lugar que conquistámos em campo. Neste momento a decisão ainda não é definitiva porque está sujeita a recurso, logo, ainda estamos na Liga. Eu já vi decisões, com implicações quase à escala planetária, serem revertidas. Ainda recentemente, aqui em Inglaterra, num dia o Manchester City estava banido das competições europeias durante dois anos e no outro dia tudo voltou à primeira forma e agora o City já pode participar, de novo, nesta temporada que vai agora começar. Portanto, depois de ver revertidas decisões desta envergadura, tenho de acreditar que em relação ao Vitória poderá acontecer o mesmo", referiu.

Além disso, José Mourinho mostrou ainda algumas dúvidas quanto à capacidade de sobrevivência do clube em caso de descida. "Eu não conheço, neste momento, a realidade do clube de uma forma profunda para me poder pronunciar. Não sei até que ponto o Vitória tem estrutura para aguentar um embate tão violento como a descida de dois escalões de uma vez só. Sei, isso sim, que sob o ponto de vista emocional, seria um golpe duríssimo para todos os que amam o clube e isso refletir-se-ia, de alguma forma, no próprio clube. Agora, não tenhamos dúvidas. Em caso de descida para o Campeonato de Portugal, será sempre muito difícil reagir e dar resposta a tão complicada situação."

Dois mil sadinos saíram à rua para exigir readmissão do Vitória de Setúbal na I Liga
Dois mil sadinos saíram à rua para exigir readmissão do Vitória de Setúbal na I Liga
Ver artigo

O Vitória de Setúbal foi impedido de se inscrever nas competições profissionais, depois de a Comissão de Auditoria da Liga ter reprovado os processos de licenciamento, alegando que o clube não cumpre os requisitos necessários.

O clube setubalense contestou esta decisão, considerando que "os prazos concedidos foram insuficientes" e acusou a LPFP de violar o "princípio de igualdade, do procedimento justo e equitativo e o da imparcialidade da administração".

Os sadinos adiantaram ainda que apresentaram um documento atestando a ausência de dívidas a outras sociedades desportivas e que, a nível contributivo, existe um acordo de pagamento com a Autoridade Tributária.

O Vitória de Setúbal tinha assegurado a permanência, ao ser 16.º classificado da I Liga, mas neste momento está fora das provas profissionais, tendo recorrido para o Conselho de Justiça (CJ) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.