O treinador do Benfica, Jorge Jesus, lamentou este sábado, depois do jogo, a falta de sorte pelas três substituições forçadas pelas saidas dos lesionados Enzo Pérez, Salvio e Gáitan.

«Foi umdérbi dentro da emoção do que normalmente acontece. Na primeira parte tivemos dificuldade em comandar o jogo, o Sporting foi uma equipa mais solta, teve alguma vantagem em termos de controlo e posse de bola, sem nos criar perigo na zona de finalização. Fora o golo, em que o passe para o André Martins é fora de jogo. Não tivemos sorte. Tive de tirar o Enzo, o Salvio, com um problema nos ligamentos, depois o Nico…ou seja não tive hipóteses de jogar com a desvantagem. Com as entradas, a equipa foi melhorando. Na segunda parte fomos mais equipa. As grande oportunidades de golo, fora o golo, foram do Benfica, além da gravata ao Cardozo, que era grande penalidade», afirmou na flash interview à Sport TV.

O paraguaio regressou após dois meses complicados e Jesus assume que a ideia não era fazê-lo entrar tão cedo em campo.

«A ideia era colocá-lo numa situação melhor do que aquela. O Cardozo ainda tem falta de agilidade, de ritmo, mas os jogadores que entraram mexeram com o jogo. O Cardozo mantém uma certa agressividade junto dos centrais, é um jogador perigoso.O Rúben Amorim também entrou bem, segurou o jogo. É um resultado que acaba por ser justo», sublinhou.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.