O treinador Nuno Manta Santos pediu hoje que o lanterna-vermelha Desportivo das Aves tenha inteligência para superar um "jogo muito tático" na receção ao Boavista, em partida da 18.ª jornada da I Liga de futebol, agendada para domingo.

"Sabemos do nosso lugar, mas temos de encontrar inteligência suficiente para somar os três pontos. Será um jogo extremamente competitivo e muito estratégico, pelo momento e pelas características das equipas, e a vontade de vencer tem de estar presente", disse o técnico, na conferência de antevisão ao duelo, no Estádio do CD Aves.

Depois da vitória caseira sobre o Portimonense (3-0), os avenses procuram replicar os índices de finalização que fixaram o triunfo mais folgado da temporada, tendo Nuno Manta Santos recomendando uma entrada ao ataque desde o apito inicial.

"Faremos tudo para chegar ao golo primeiro que o adversário. É fundamental entrarmos a vencer ou será muito complicado conseguirmos dar a volta, já que o Boavista se fecha bem e tem características para jogar num bloco médio/baixo", notou.

Sem vencer há cinco rondas, os ‘axadrezados' introduziram "nuances diferentes" no plano ofensivo com a substituição de Lito Vidigal por Daniel Ramos, embora mantenham uma "cultura de disciplina e rigor, com jogadores muito agressivos na disputa de bola".

"Antes tinham princípios defensivos bem solidificados e estavam prontos a explorar as transições e a bola parada. Com o Daniel Ramos começamos a reparar numa maior elaboração das primeira e segunda fases de construção, além de um ‘onze' com jogadores diferentes daqueles que o ex-treinador usava", analisou.

Confirmando a disponibilidade dos reforços Jonathan Buatu, Oumar Diakhité e Marius Mouandilmadji, Nuno Manta Santos frisou que o Aves continua "atento ao mercado" e esperançado em ultrapassar diversas "finais" rumo ao objetivo da permanência.

"A última vitória deveu-se muito ao trabalho da semana anterior. Animicamente veio consolidar toda a nossa evolução semanal e oferecer mais confiança aos atletas sobre o que estamos a fazer. A exigência é grande e não podemos falhar", alertou.

Sufocado pela urgência de pontos, o emblema do concelho de Santo Tirso encontra no histórico de confrontos com os ‘axadrezados' um fator motivacional, já que venceu as últimas três receções para a I Liga sem sofrer qualquer golo.

O Desportivo das Aves, 18.º e último colocado, com nove pontos, a seis da ‘linha de água', recebe o Boavista, na 12.ª posição, com 19, no domingo, às 20:00, no Estádio do CD Aves, numa partida da 18.ª jornada da I Liga, que terá arbitragem de Hugo Miguel, de Lisboa.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.