Octávio Machado quebrou o silêncio em entrevista à CMTV. O antigo diretor do futebol do Sporting falou sobre a sua saída dos leões. E frisou que Jorge Jesus não quis a sua saída.

O agora ex-dirigente reconheceu que ficou fragilizado com um série de notícias que o obrigaram a sair do clube.

"Surgiram uma série de notícias de anonimato (...) que me fragilizaram e que davam a ideia de que ia perdendo influência no Sporting. Na véspera do jogo com o Chaves, achei que chegava".

O agora ex-dirigente reconheceu que Jorge Jesus quis evitar a sua saída.

"Jesus opôs-se sempre à minha saída. Deu-me sempre tranquilidade e mostrou grande respeito. Na véspera de enviar a carta à administração, disse-lhe que iria abandonar. Tentou demover-me, mas disse-lhe que não podia continuar".

Octávio Machado comentou a relação entre Jorge Jesus e Bruno de Carvalho e dia que a entrada do técnico mexeu com todo o Sporting.

"Nunca me esquivei ao diálogo, cumpri sempre as minhas tarefas e funções. Quando entrei com o Jorge Jesus faziam-se apostas da conflitualidade que iria existir entre o treinador e o presidente e que iria tudo descambar. Não aconteceu nada. Em todas as famílias existem situações e momentos menos bons. Mas tudo foi feito sempre em prol do engrandecimento do Sporting. A família a que pertencia era forte e coesa. Entrámos com um Sporting em crise enorme, um presidente fragilizado, uma família dividida. A contratação do Jesus foi algo que mexeu com todos, em termos do renascimento do orgulho sportinguista".

Octávio Machado abordou ainda a sua relação com Bruno de Carvalho.

"Não sei se foi Bruno de Carvalho, não posso fazer essa acusação não tendo a certeza. É uma acusação grave. Continuo sem saber quem foi o nojento, o porco", afirmou Octávio quando questionado sobre quem teria estado na origem da sua saída.

"Não gostava do meu trabalho? A mim nunca me disse, nem fez sentir isso. Se o disse nas minhas costas é problema dele. Sai em rota de colisão com cobardes, sem coragem. As pessoas entendem-se a falar. Se queriam alguma coisa de mim, dialogavam comigo", afirmou.

Revelou ainda que lhe foi proposto outro cargo no Sporting: O de comentador.

"Depois da carta que enviei à SAD, reuni-me com um administrador. Queriam que fosse comentador. Perguntaram-me com quem me sentiria mais à vontade Ventura ou Guerra", contou.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.