Marco Ferreira voltou a desferir um duro ataque a arbitragem portuguesa. O árbitro internacional que na temporada passada foi despromovido, critica os critérios de nomeação, promoção dos árbitros, regulamentos e as medidas tomadas pelo Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol.

O juiz madeirense termina, perguntando onde está a Polícia Judiciária, o Ministério Público e o Governo.

Eis as declarações polémicas de Marco Ferreira, escritas na sua página pessoal no facebook.

"Pessoas que dizem que a evolução da arbitragem portuguesa é o grande objetivo, como é possível dar entrevistas fugindo das perguntas e só falando em números e estatísticas?! Fazem regulamentos que não premeiam a qualidade mas sim as datas de nascimento, como é possível os conselhos regionais indicarem árbitros pelas idades e não pela qualidade, acontecendo que muitos árbitros indicados ficam nos últimos lugares nas suas Associações e por serem os únicos dentro dos limites de idade imposto pelo regulamento são "obrigados" a serem indicados. Isto é premiar a qualidade?

"Gastam mundos e fundos numa academia que só serve para continuar a aparecer como o 'melhor' perante árbitros jovens, onde o medo impera e são obrigados a idolatrar quem continua a destruir a arbitragem. Fazem regulamentos para serem cumpridos e quando interessa alteram a meio da época para poderem ajustar aos interesses dos iluminados?

"Vejam o exemplo dos novos internacionais (sem colocar em causa capacidades ou as pessoas em questão): contra o regulamento, foram indicados para a FIFA; já sabíamos que esses árbitros por muito que estivessem mal durante a época nunca iriam descer porque foram os primeiros árbitros fruto da academia. Por isso foram para internacionais e têm garantido a sua permanência enquanto estas pessoas continuarem.

Em sentido contrário, também sabíamos que um lugar da descida já estava garantido, ou não fosse alguém com a coragem de lutar pelos seus direitos e terem sido obrigados a aceitá-lo no quadro C1, que enfrentou o poder e a incompetência e foi 'condenado à nascença' à descida. Como é possível haver um regulamento onde diz que vai haver uma redução do quadro de assistentes (norma transitória para época 2014/15), onde os assistentes fazem a época com base nesse regulamento e agora alteram anulando tudo o que estava escrito?!

"Questiono por que razão retiraram neste novo regulamento o artigo onde dizia que um árbitro que seja despromovido mas que tenha tido no mínimo 6 épocas no futebol profissional poderia subir até aos 40 anos? Será que foi para evitar que eu voltasse a subir? O regulamento obriga os árbitros a aceitar o profissionalismo para poderem subir à Liga, como podem fazer essa imposição para depois não haver nenhuma proteção e poderem descer? Vejam o meu exemplo, tenham vergonha e não obriguem as pessoas a abdicar da vida pessoal e das suas profissões se não tiverem condições de cumprir o que prometem. Estão a provocar desemprego com o cunho do Conselho de Arbitragem e da Federação Portuguesa de Futebol.

Onde anda o Ministério Público??? Onde anda a PJ? Onde anda o Governo ou não seja a FPF uma instituição de utilidade pública..."

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.