"Já começo a recuperar os meus níveis, pouco a pouco, com muito trabalho. A Académica tem bons jogadores e tem uma boa equipa. Penso que seria um ‘sonho’ chegar à Liga Europa, porque não?", confessou o médio.

Formado no Estrasburgo e com passagens pelo Sochaux, Entente SSG e Châteauroux, todos clubes do futebol francês, o médio esteve um ano sem treinar, após uma passagem abortada pela União de Leiria, tema que preferiu não abordar.

O ex-capitão da selecção de Esperanças do Senegal reiterou que não pensa na equipa AA do seu país e que agora só pensa no presente, na Académica, que o acolheu com simpatia, desde colegas, presidente, adeptos e treinador.

Aliás, admite que a sua adaptação tem sido fácil, pois, além do bom ambiente, vive também "numa cidade simpática", com a mulher e os seus dois filhos.

Apesar de não saber falar português (à excepção de poucas palavras), o novo reforço academista justificou que isso não é problema, porque se não souber algo, pergunta, recorrendo aos seus amigos Sougou e Peiser, já familiarizados com a língua lusa.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.