"A Académica está a crescer, está num bom momento, embora reconheça que a União de Leiria tem uma boa equipa. Se jogar o com fez frente ao Guimarães, a Académica sairá com um bom resultado de lá", afirmou o "trinco" brasileiro, em antevisão da visita dos "estudantes" à cidade do Lis.

O brasileiro acrescentou que "o Leiria tem um bom ataque", mas dá a receita para contrariar o adversário: "Temos que explorar e jogar mais no erro deles".

Quanto ao estado anímico do grupo de trabalho, Paulo Sérgio reitera que "está mais concentrado, mais motivado", após a primeira vitória para o campeonato, conquistada apenas à nona jornada frente ao Vitória de Guimarães, justificando esse facto devido à "falta de uma ponta de sorte".

O jogador salienta que a mudança de técnico foi "positiva", dado que André Villas Boas "veio dar mais ânimo" e "soube gerir o grupo para conseguir as primeiras vitórias".

Titular na era de Rogério Gonçalves, mas suplente não utilizado com Villas Boas, Paulo Sérgio não desanima, porque entende que "é uma questão de oportunidade".

"Nós, jogadores, trabalhamos sempre para sermos titulares. Trabalhamos bem para agarrar essa oportunidade", reiterou.

Na Académica desde 2006, o médio que esteve emprestado ao Al Ettifaq, da Arábia Saudita, em 2008/2009, deseja dar o salto na sua carreira para um clube com maior dimensão, mas diz não fechar a porta ao clube de Coimbra, com quem tem contrato até Junho de 2010.

"Estou preparado para me sentar à mesa com a direcção, falarmos e depois se verá. Todos os jogadores que jogam na Académica gostam de cá estar e eu não fujo à regra. Eu queria voltar para a Europa, porque o campeonato é mais 'vistoso'. Claro que sonho em representar uma equipa grande, mas voltei para cá porque quis", concluiu o jogador, a quem o clube saudita endereçou novo convite.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.