Depois de Bruno de Carvalho ter assumido a recandidatura à presidência do Sporting, são agora dois os candidatos à presidência do Sporting, uma vez que o estreante Pedro Madeira Rodrigues apresentou a sua intenção na passada terça-feira.

"Faço-o em nome do Clube que eu amo de paixão e que, reafirmo, será sempre o meu para além da morte. Trabalhei, nos últimos 4 anos, 24 horas por dia ao serviço do Sporting CP e assim continuará a ser enquanto aqui estiver. Os próximos anos são fundamentais para consolidar tudo o que se fez nos últimos 4. Começar de novo seria um retrocesso fatal para o nosso Clube", escreveu o atual presidente no Facebook esta quinta-feira.

As eleições estão agendadas para o dia 4 de março e Pedro Madeira Rodrigues não ficou satisfeito com a escolha, lamentando que o escrutínio tenha sido marcado "com o menor prazo possível" quando os estatutos preveem que as mesma se possam realizar entre 1 de março e 30 de abril.

O primeiro candidato conta com o apoio dos sportinguistas que não estão satisfeitos com a liderança de Bruno de Carvalho.

"Queremos ganhar as eleições e sabemos que há uma larga maioria de sportinguistas que não se revê neste estilo de liderança e que terá no nosso projeto uma alternativa de confiança para voltar a ter o Sporting sempre na frente", escreveu em comunicado.

Pedro Madeira Rodrigues garante que irá apresentar "um projeto vencedor, alternativo ao da atual direção".

"Bruno de Carvalho prestou, num determinado momento, um importante serviço ao clube, mas já é evidente que o seu projeto está esgotado. Sei que há uma larga maioria de sportinguistas que não se revê neste estilo de liderança", disse Madeira Rodrigues.

Do lado do outro candidato, o atual presidente do Sporting recebeu a candidatura de Pedro Maria Rodrigues com ‘fair-play’, recordando ainda o que se passou nas duas eleições anteriores.

"Quero, como presidente do Sporting, dar as boas-vindas ao Pedro Madeira Rodrigues e a todos os que entenderam candidatar-se à presidência do Sporting, no que será um enorme caso de vitalidade e juventude leonina. Não quero que ninguém passe o que passei aquando concorri nas duas eleições do Sporting. Comigo o Sporting nuca será um clube fechado ou hermético ou onde a democracia é um chavão, é três minutos em assembleias-gerais, sob ameaças e coação”.

Questionado sobre uma reunião que terá acontecido há seis anos entre Pedro Madeira Rodrigues e Bruno de Carvalho, o presidente dos Leões pediu desculpa porque não se lembrava do antigo secretário geral da Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa, avisando que era um bom sinal, porque, disse, só se lembra daqueles que lhe causam má impressão.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.