José Peseiro não se conforma sobre a forma como foi afastado do Sporting. O treinador lembrou que liderou o clube numa altura crítica em que teve de fazer de tudo um pouco.

"Trabalhei arduamente com a Comissão de Gestão. Fui treinador, diretor-desportivo... Reuni com empresários de jogadores da formação que queríamos sair para outros clubes. Mas a verdade é que esse Sporting ganhou a Taça de Portugal e a Taça da Liga. Nas eleições [8 de setembro de 2018] estávamos em primeiro lugar e quando saíamos estávamos a dois pontos do primeiro classificado. Na apresentação foi tudo assobiado, desde os jogadores que regressaram, Sousa Cintra e até o José Peseiro...", lembrou o técnico, em declarações à Sport TV.

Para José Peseiro, o problema do Sporting não está nos treinadores que vão entrando e saindo do clube.

"[O principal problema do Sporting] não é o José Peseiro, o Marcel Keizer ou o Jorge Silas. O presidente do Sporting, quando assumiu funções, tinha de ter alertado que o clube não vivia os seus melhores tempos, que não tinha os mesmos recursos que FC Porto e Benfica para, depois, não agarrar na cabeça do treinador e cortar quando entendesse. O Sporting não tem o plantel que já teve, como o de Jorge Jesus, por exemplo", recordou.

Na entrevista, José Peseiro tentou justificar as exibições da equipa aquando do seu comando. O treinador lembrou que "seria impossível ter a avalancha ofensiva" aquando da sua primeira passagem pelo clube: "Não tínhamos recursos suficientes para colocar em prática a nossa ideia. Fizemos um plantel à pressa que começou melhor do que o desta época", explicou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.