O antigo futebolista do Benfica Minervino Pietra lamentou hoje a morte do antigo companheiro de profissão Rui Jordão, "um grande companheiro e um grande amigo".

"Fui apanhado de surpresa. Foi um dia triste. Não estava à espera, ninguém está, obviamente. Fez-me recuar cerca de 40 anos, quando éramos miúdos e fomos companheiros de profissão. Independentemente de ter sido um grande jogador de futebol, foi indiscutivelmente um grande companheiro, um grande amigo", disse Pietra, falando sobre Rui Jordão, que morreu hoje aos 67 anos.

O ex-jogador 'encarnado' acrescentou: "Foi daqueles com quem convivi, não só eu e ele, mas também as respetivas famílias, com os respetivos filhos, em momentos de grande cumplicidade e alegria. Infelizmente, esses tempos longínquos vieram, de certa maneira, a culminar num desfecho que ninguém estava à espera. Quero endereçar à família as minhas sentidas condolências e que descanse em paz."

Jordão morreu hoje, aos 67 anos, no Hospital de Cascais, onde estava internado, em consequência de problemas cardíacos.

O antigo jogador, natural de Benguela, destacou-se no Benfica, clube no qual iniciou a carreira, em 1971/72, e no Sporting, tendo disputado 43 jogos pela seleção portuguesa e marcado 15 golos, dois dos quais no Europeu de 1984, no qual Portugal foi eliminado nas meias-finais.

Jordão, que jogou também no Saragoça e no Vitória de Setúbal, onde terminou a carreira, em 1988/89, foi melhor marcador do campeonato português nas épocas 1975/76 e 1979/80, tendo conquistado seis títulos de campeão nacional, três Taças de Portugal e uma Supertaça portuguesa.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.