O presidente do FC Porto, Jorge Nuno Pinto da Costa, atacou a candidatura de Luís Duque à presidência da Liga, e voltou a defender que Pedro Proença tem mais condições para liderar a Liga de Clubes que hoje vai a eleições.

Em entrevista ao jornal O JOGO, o histórico líder portista falou da sua surpresa pela recandidatura de Luís Duque à presidência da Liga de Clubes, e não poupou nas críticas ao atual presidente da Liga de Clubes e vice-presidente da FPF.

Se fiquei surpreendido com o anúncio da candidatura de Luís Duque? Surpreendidíssimo.Na véspera tinha dito que não concordaria sem falar com o FC Porto e até hoje nunca mais ouvi a voz dele. E o meu telefone está sempre ligado. Ele teve um papel moderador dos grupos que já trabalhavam em vários dossiês. Depois apareceu como salvador da Liga, quando esta já estava no caminho certo. Foi conseguido o patrocínio da NOS pelo ser. Joaquim Oliveira e com os CTT a mesma coisa. Luís Duque limitou-se a assinar. Até lhe fica mal aproveitar-se disso porque teria sido conseguido com ele ou outro qualquer. Foi conseguido pelo pelo grupo de trabalho e porque Joaquim Oliveira teve um papel decisivo. Parece-me também inconcebível querer defender-se um indivíduo que ostensivamente é uma afronta ao Sporting, porque é um ex-dirigente e até de sócio foi expulso. Mas atenção, nós não temos relações oficiais nem com Sporting bem com o Benfica", afirmou Pinto da Costa.

"Quando vejo Luís Duque referir-se daquela forma ao presidente do Sporting e ao presidente do Estoril fico pasmado - como é que indivíduo destes tem pretensões em ser o presidente destes presidentes…Agora, vir com argumentos de que Joaquim Oliveira o apoia e dá garantias aos clubes da II Liga…A maior parte desses, se não fosse Joaquim Oliveira já não existiam. Ele apoia os clubes seja quem for o presidente. É ele quem tem salvo os clubes. É uma realidade. Mas até a FPF, no seu centenário, se esqueceu disso. Luís Duque não tem o mínimo de condições e ainda soma mais uma ultranegativa: é que ele é vice-presidente da FPF e quando lhe perguntei determinadas situações, como se tinha conhecimento da indicação do Figo para candidato à FIFA, ele disse que nada sabia. Então é vice e a FPF não o avisou? Mais tarde, explicou que não ia às reuniões porque eram de tal forma que nem se interessava. Como é que uma pessoa pode abandonar as reuniões? Que garantias pode ele dar?", acrescentou o presidente do FC Porto.

"A nossa ideia inicial era de nem apoiar ninguém, a não ser que aparecesse alguém com programa e nome credíveis, de passado imaculado. Pedro Proença falou com Antero Henrique e eu disse logo que sim. É uma pessoa de prestígio mundial. Foi convidado para o Conselho de Arbitragem a UEFA diretamente por Pierluigi Collina, é um homem com conhecimento e além disso um gestor, que só suspendeu funções porque se dedicou ao futebol. E é um homem do futebol e não da política. Nada tenho contra políticos que são políticos, mas quando os vejo no futebol deito logo as mãos à cabeça, cheira-me logo a esturro. O presidente da AG da FPF (José Luís Arnaut) não é um homem do futebol. Ele nem tem clube. Esteve num jogo do FC Porto em representação do Governo porque estava lá o Rei de Espanha. Antes nunca tinha ido ao futebol. Luís Duque também veio da política", sentenciou Pinto da Costa sobre a razão pela qual o FC Porto decidiu apoiar a candidatura de Pedro Proença.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.