Pode não haver policiamento na partida deste domingo entre o V. Guimarães e o FC Porto a contar para o troféu de Guimarães. É a (ASPP) Associação Sindical dos Profissionais de Polícia quem avisa.

Paulo Rodrigues da ASPP critica o facto de os clubes não gratificarem os polícias, sublinhando que os profissionais "não podem continuar a beneficiar de um tratamento especial em relação a outras empresas privadas", afirmou em declarações à TSF.

"Os polícias não servem para fazer favores. É isto que não aceitamos nem admitimos", avisa. A ASPP alega ainda ter alertado o governo em maio para a situação, mas não obteve resposta.

A ASPP, num comunicado divulgado na sexta-feira sublinha que "as Sociedades Anónimas Desportivas, sendo empresas privadas, não podem continuar a beneficiar de um tratamento especial em relação a outras empresas privadas".

"Não se compreende que os Profissionais da Polícia continuem a ser usados gratuitamente por estas empresas e por tudo o que envolve, nos dias de hoje, um jogo de futebol. A própria Polícia de Segurança Pública considera alguns dos jogos de futebol profissional como sendo de risco elevado, efetuando conferências de imprensa e dando conselhos de segurança à população. No entanto, os Profissionais da Polícia são escalados para efetuar serviço como se de um dia normal de trabalho se tratasse, poupando verbas às empresas promotoras dos eventos", acrescenta-se na mesma nota.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.