Adriano Galliani, administrador executivo do Milan, esteve esta segunda-feira no Porto para tentar as contratações de Jackson Martínez e Yacine Brahimi, mas apenas um dos negócios parece viável para o emblema italiano.

Se os 35 milhões de euros da cláusula de rescisão de Jackson Martínez parecem relativamente acessíveis para um clube que tem os cofres recheados após a entrada em cena do milionário tailandês Bee Taechaubol, o mesmo não se pode dizer das exigências portistas quanto a Yacine Brahimi.

Segundo a Sky Italia, os 50 milhões de euros exigidos pelos 'dragões' - valor da cláusula de rescisão - 'assustaram' o dirigente do clube de Milão, que não se encontrava preparado para investir uma quantia tão avultada por um jogador que ainda está longe da plena afirmação a nível europeu.

80 por cento do passe de Brahimi, recorde-se, pertence à Doyen, com os restantes 20 por cento a pertencerem aos azuis-e-brancos. O clube da Invicta detém, no entanto, direito de recompra da percentagem que não lhe pertence.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.