O presidente do Arouca, Carlos Pinho, foi hoje expulso ao intervalo do jogo com o Sporting de Braga, da 24ª jornada da I Liga de futebol, devido a incidentes no túnel do Estádio Municipal de Braga.

Segundo fonte do clube bracarense, Carlos Pinho e o filho, Joel Pinho, diretor desportivo do Arouca, "confrontaram os árbitros em termos impróprios e ameaçaram toda a gente, inclusivamente o pessoal do Braga, nomeadamente diretores e até Rui Casaca [diretor executivo da SAD ‘arsenalista’] e o diretor de segurança".

Segundo a mesma fonte, além de existirem imagens do que se passou, tudo foi testemunhado pelos delegados da Liga e "vai estar no relatório".

Na sala de imprensa, no final da partida, o técnico Manuel Machado desvalorizou o sucedido.

"O que se passou no túnel com o presidente? Nada de mais, uma conversa com o árbitro [Rui Costa], uma intervenção do segurança e uma reação a isso. É um pequeno incidente que não tem qualquer relevo, uma troca de palavras, as pessoas estão excitadas pelo jogo", disse.

O técnico do Arouca não gostou da atuação do quartento de árbitros.

"Não perdi por causa da atuação dos árbitros, mas fico com a sensação, e não passa disso, que nunca ganharia o jogo com este quarteto de árbitros. Sem lances decisivos, há pequenos indícios, nomeadamente aquele que antecede o apito final da primeira parte. Depois de o guarda-redes ser assistido, foi dito que o tempo ia ser compensado, é marcado o canto, bola a nossa favor e piu piu. Depois essas coisas levam a um bate boca. Não foram os árbitros que nos derrotaram, mas dificilmente ganharíamos com este tipo de atuação por parte dos árbitros", disse Manuel Machado, na sala de imprensa.

O Sporting de Braga venceu o Arouca por 3-1.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.