Vitor Murta foi constituído arguido depois das buscas realizadas nas instalações da SAD 'axadrezada' esta quarta-feira, avança o Jornal de Notícias (JN).

Sobre o presidente do Boavista recaem suspeitas de crime de fraude fiscal qualificada e branqueamento de capitais, sendo que de acordo com o JN está já identificada uma vantagem patrimonial.

O Boavista já reagiu às buscas realizadas pela Polícia Judiciária e pela Autoridade Tributária afirmando queas buscas não estão diretamente direcionadas ao Boavista, mas com empresas que têm ou tiveram acordos comerciais com o clube.

O clube acrescenta ainda que "nenhum dirigente ou quadro da Instituição Boavista foi alvo de buscas domiciliárias por parte das Autoridades".

Sobre a constituição de Murta como arguido, o clube, em declarações ao Jornal de Notícias, afirma que a constituição do seu presidente como arguido "serve para melhor acompanhar e colaborar com todo o processo".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.