O presidente do Vitória de Guimarães, Miguel Pinto Lisboa, foi multado em 607 euros por ter-se recusado a máscara no relvado do D. Afonso Henriques.

O líder dos minhotos tinha descido ao relvado no primeiro tempo do jogo com o Belenenses SAD, da 5.ª ronda da I Liga de Futebol mas não quis usar máscara, de acordo com o mapa de castigos do Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol.

No final do jogo, que terminou empatado 1-1 e os minhotos com dois jogadores expulsos, o presidente do Vitória de Guimarães disse que ia pedir uma reunião ao Conselho de Arbitragem (CA) da Federação Portuguesa de Futebol.

Miguel Pinto Lisboa considerou que Hélder Malheiro, 'juiz' da associação de Lisboa quis ser “o centro do jogo”, com critérios que não foram “justos nem equivalentes”, no empate 0-0 com o Belenenses SAD, para a I Liga, e vincou que o emblema vimaranense, a seu ver prejudicado, deve ser “respeitado”.

“O Vitória vai pedir ao CA que o receba, porque quer ser respeitado”, disse, no final de uma declaração proferida na sala de imprensa do Estádio D. Afonso Henriques, após o jogo da quinta jornada da I Liga, que terminou com os minhotos reduzidos a nove unidades.

Miguel Pinto Lisboa disse ainda que o “centro do futebol tem de ser os jogadores” e que a “presença dos adeptos” nos estádios deve ser “valorizada” e não “colocada em causa”, tendo ainda questionado a pertinência de se discutirem assuntos como a centralização dos direitos televisivos da I Liga de futebol com arbitragens como a de Hélder Malheiro.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.