Luís Filipe Vieira já sabe qual é o caminho que quer que o Benfica percorra sob a sua direção. O dirigente é novamente candidato à liderança do clube e vai apresentar a sua lista já esta quarta-feira. O jornal ‘Record’ avança os pontos principais do próximo mandato do Presidente dos ‘encarnados’, sendo que as propostas de Vieira não apresentam grandes diferenças para o último programa eleitoral.

À partida, Luís Felipe Vieira quer que o seu mandato seja recheado de títulos. As conquistas por parte do Benfica são a prioridade. O futebol continua a ser a principal ‘arma’, mas o presidente não esquece as modalidades. Depois da ‘fórmula 50+3+1’ (50 títulos nas modalidades, três campeonatos e uma final europeia), Vieira quer manter um caminho semelhante com foco na conquista de um inédito ‘tetra’.

A nível de formação, o plano passa por manter a aposta nos jovens do Seixal. Neste último mandato, a formação foi um dos temas mais falados pela estrutura ‘encarnada’ e a aposta na juventude é para continuar até 2020. A equipa B recebe a sua quota parte de atenção depois de a academia do Benfica ter completado 10 anos de existência.

As finanças do clube da Luz não foram esquecidas. Um dos pontos do programa de Luís Felipe Vieira passa por reduzir o passivo que existe no clube. O endividamento é uma das questões que estiveram sempre presentes durante o último mandato. Por várias vezes, Luís Filipe Vieira esteve na linha da frente a defender a ‘luta’ contra o passivo com afirmações a favor da sua redução. As vendas de jogadores foram uma das formas utilizadas para diminuir estes valores.

Um presidente necessita de um número 2

Uma das questões mais pertinentes passa por saber quem vai ser o ‘braço direito’ de Luís Filipe Vieira. À cabeça existem três nomes que estão associados à vice-presidência dos ‘encarnados’: Rui Gomes da Silva, José Eduardo Moniz e Nuno Gaioso.

Rui Gomes da Silva é um membro da direção desde 2009. O advogado e comentador desportivo é um dos defensores mais ativos do clube e, de acordo com o ‘Record’, quer manter-se na estrutura dos ‘encarnados’. Recentemente, fez questão de afirmar que nunca se candidataria contra Vieira.

José Eduardo Moniz surgiu no cenário ‘encarnado’ em 2009 como opositor de Luís Filipe Vieira, no entanto, acabou por concordar com a posição do presidente. Três anos passados, integrou a direção liderada por Vieira. Neste mandato, é opção para continuar, mas como vice-presidente.

Nuno Gaioso surgiu na lista de Vieira em 2012. Com menos mediatismo do que os outros dois candidatos, o gestor tem as suas mais-valias na gestão. Nuno Gaioso foi o homem que defendeu as contas do clube na última Assembleia Geral e está ligado às finanças do clube da Luz.

A proposta de Luís Filipe Vieira para o próximo mandato deve ser conhecida esta quarta-feira. Uma das grandes questões passa por saber se Rui Gomes da Silva se mantém na estrutura ou se será afastado do Benfica.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.