“O FC Porto não é uma equipa invencível. Qualquer equipa pede ganhar-nos, como o Olhanense, temos é de estar preparados para todo o tipo de jogo que os nossos adversários apresentem”, disse André Villas-Boas, esta quinta-feira, em conferência de imprensa de antevisão do encontro com o Olhanense para a sexta jornada da I Liga.

No auditório do Centro de Treinos e Formação Desportiva PortoGaia, no Olival, o técnico da equipa líder do campeonato reconheceu que o encontro com os algarvios “dependerá de como o Olhanense se apresentar no Dragão”.

“Se eles se apresentarem como o Beira-Mar, que jogou olhos nos olhos connosco, iremos ter um bom espectáculo de futebol. O Olhanense é terceiro classificado com mérito. Há equipas que jogam na espera do erro do adversário e eu não privilegio esse tipo de jogo, mas qualquer equipa tem direito a defender os seus princípios”, explicou.

Na sequência da conversa, o treinador dos Dragões disse que é “um apreciador das equipas montadas por Jorge Jesus porque privilegiam um futebol espectáculo”, e que o jogo das pressões é uma “guerra à distância”. Isto porque o técnico dos encarnados afirmou, após a vitória sobre o Sporting, que agora iria colocar pressão sobre os adversários.

André Villas-Boas garantiu ainda que não é uma “obsessão” igualar o melhor arranque de sempre do clube, até porque “os deslizes podem acontecer”. No entanto, desabafou animado: "Se callhar até existe uma obsessão".

O FC Porto (primeiro classificado com 15 pontos) defronta, este sábado, o Olhanense (terceiro com nove), às 21h15, no Estádio do Dragão, em jogo da sexta jornada da I Liga.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.