O treinador Rui Vitória desvalorizou o momento menos bom do Vitória de Guimarães, que não vence há cinco jogos seguidos na I Liga de futebol, e mostrou confiança no regresso aos triunfos já diante do Marítimo.

Guimarães, Braga 26 fev (Lusa) – O treinador Rui Vitória desvalorizou hoje o momento menos bom do Vitória de Guimarães, que não vence há cinco jogos seguidos na I Liga de futebol, e mostrou confiança no regresso aos triunfos já diante do Marítimo.

Nas últimas cinco jornadas, o Vitória somou três empates e duas derrotas, caiu para a quinta posição e tem agora apenas mais três pontos que o sexto classificado, o Belenenses.

"Os resultados não têm sido o que queremos, mas sabemos que são fases e momentos que as equipas atravessam. Queremos voltar às vitórias, tivemos muito perto no último jogo [Paços de Ferreira, 2-2], num contexto complicado e em que demos uma boa resposta. Os jogadores que chegaram têm vindo a integrar-se melhor e estamos esperançados", disse o técnico na conferência de imprensa de antevisão ao jogo de sexta-feira, que abre a 23.ª jornada.

Rui Vitória frisou que não é por passar bons ou maus momentos que o Vitória vai mudar a sua identidade e que, apesar da aproximação do Belenenses, no Vitória "há sempre pressão, independentemente do lugar na tabela".

"Já estivemos no último lugar e havia pressão para sair daquela posição, ou em nono e queríamos estar mais acima. Faz parte. Importa é olhar para dentro e saber o que temos que fazer para conquistar o que queremos, que é um lugar nas competições europeias. Pelo trabalho e percurso que os jogadores têm vindo a fazer, merecemos, mas de merecer a conquistar vai uma distância", avisou.

O treinador lembrou a inexperiência da equipa, notando que "depois do Penafiel e do Boavista, os jogadores do Vitória de Guimarães são os que têm menos jogos na I Liga" e que desde a final da Taça de Portugal, que conquistou em 2012/13, o clube vendeu oito ou nove jogadores.

Sobre o adversário de sexta-feira, que tem realizado uma época aquém das expectativas, admitiu que "tem mostrado alguma irregularidade, mas tem princípios de jogo e está estruturado".

"Sentimos que é uma equipa que quer muito chegar aos lugares de cima, não tem conseguido, mas isso vale o que vale, não dá para tirar ilações. Perderam o último jogo em casa e isso perturba um bocado, mas têm qualidade, um bom treinador [Leonel Pontes] e bons jogadores. Vai ser uma batalha difícil para nós, mas muito difícil para o Marítimo também porque queremos muito voltar às vitórias", disse.

Avaliou ainda o avançado neozelandês Tyler Boyd, primeiro reforço para a próxima temporada, explicando que se enquadra na estratégia de contratar jovens valores para os potenciar.

"É um jogador rápido, jovem, com apenas 20 anos, com margem de progressão boa, não sabemos se vai dar ou não, mas também não sabíamos isso sobre outros jogadores que vieram e que deram. Não podemos ir buscar jogadores consagrados, vamos tentar consagrá-los aqui", disse.

Bernard fez trabalho condicionado nos últimos treinos e é ausência quase certa, sendo que Jonatan Alvez, lesionado, e Bouba, castigado, falham mesmo o jogo de sexta-feira.

Vitória de Guimarães, quinto classificado, com 37 pontos, e Marítimo, 10º, com 27, defrontam-se na sexta-feira, às 20:30, no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães, jogo que será arbitrado por Bruno Paixão, de Setúbal.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.