O relatório do árbitro do Boavista-FC Porto não refere quaisquer ameaças feitas por qualquer pessoa ligada aos 'dragões' no intervalo do jogo. No documento apresentado pelo site da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Hugo Miguel referiu várias ocorrências mas apenas de factos ocorridos dentro de campo, ou de comportamento por parte do público presente.

No relatório, o juiz da partida refere que foi apontada uma luz laser verde aos seus olhos por parte dos adeptos do FC Porto, durante a marcação de uma falta ou ainda um atraso no recomeço do jogo de três minutos, por parte da equipa do Boavista.

É também relatado que cada elemento da equipa de arbitragem levou para casa duas garrafas de Vinho do Porto, oferecidos ela equipa dos 'axadrezados'.

Recorde-se que, na manhã desta segunda-feira, o Benfica acusou, através da conta do Twitter reservada à comunicação social, o diretor-geral do FC Porto, Luís Gonçalves, de ter ameaçado o árbitro no intervalo do encontro entre o Boavista e o FC Porto.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.