Roberto voltou a “borrar a pintura” e logo no jogo que pode dar o título ao FC Porto. Decorridos os primeiros 45 minutos do clássico, o FC Porto vence por 2-1, com golos de Guarín e Hulk. Para o Benfica marcou Saviola.

O jogo começou tenso e desde o início se percebeu que na Luz estava um Benfica mais nervoso perante a possibilidade de passar o título de campeão nacional para o rival FC Porto. E Roberto personificou esse sentimento aos 8 minutos. Guarín vai à linha, cruza forte e junto à linha de golo e Roberto mete as mãos à bola para a desviar para dentro da baliza. Estava feito o 1-0.

A defesa do Benfica, com Sidnei à cabeça, mostrava-se trémula, mas aos 16’ o jogo sofre uma reviravolta. Duarte Gomes assinala falta de Otamendi sobre Franco Jara na grande área e Saviola restabelece a igualdade. A falta parece duvidosa.

O Benfica cresceu então no jogo e conseguiu levar o jogo para mais perto da área portista. Estavam melhor os encarnados, mas o que não esperavam era que Falcao aparecesse completamente isolado frente a Roberto. O espanhol saiu aos pés do avançado do FC Porto e não evitou o derrube, com Duarte Gomes a assinalar novo pénalti. Hulk fez o 2-1 e comemorou o seu regresso à Luz com Sapunaru, numa espécie de “vingança” depois dos castigos no Caso do Túnel.

Apesar de novo contratempo, o Benfica voltou a reagir e até final da primeira parte foi de Saviola a melhor oportunidade do encontro. A triangulação com Aimar deixou “El Conejo” na cara de Helton, mas o brasileiro mostrou-se atento e deteve o remate do argentino.

Caso se mantenha este resultado, o FC Porto comemorará na Luz o 25.º título da sua história.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.