Após a festa no relvado, Rúben Amorim fez questão de entrar na sala de imprensa ao lado de toda a sua equipa técnica. Naturalmente bem disposto, o técnico recém-coroado campeão nacional começou por deixar um repto aos adeptos, a pensar já na próxima temporada.

"Quero agradecer aos sportinguistas pelo apoio. Principalmente aos que deram o benefício da dúvida a meu respeito. O meu muito obrigado. Quero que se lembrem deste momento para que daqui a um mês e meio, se perdermos um joguinho, não comecem logo os lenços brancos", disse entre risos.

Depois, explicou o porquê de ter a seu lado toda a equipa técnica. "Não é só um treinador. O Emanuel teve nas duas grandes e únicas derrotas que provocaram eliminações e teve de dar a cara, porque eu não podia, na altura. Quando se ganha, devem estar cá todos", sublinhou.

Garantido o título, Amorim admitiu que, apesar de durante muito tempo ter afirmado que o Sporting não era candidato, a certa altura essa ideia começou a estar presente na cabeça dos jogadores e equipa técnica.

"Nunca pensei muito a longo prazo. Mas, obviamente, que para o fim começámos a ter noção e começámos a fazer algumas contas. Mas quando tudo parecia mais tranquilo, começámos a perder pontos e aí surgiram algumas dúvidas e alguma desconfiança em torno da equipa. Mas demos a volta", lembrou.

Foi nesse momento que a sala de imprensa foi invadida pelos jogadores que, eufóricos, deram o tradicional banho gelado ao seu treinador, por entre gritos bem dispostos de 'Sporting campeão' e 'O Amorim está castigado'. Houve até tempo para Gonazlo Plata se queixar por não ter jogado.

Serenados os ânimos, e com os jogadores já de novo fora da sala de imprensa, Amorim prosseguiu com as respostas e com mais uma mensagem para os sportinguistas.

"Para o ano há Liga dos Campeões e, se este ano foi de sofrimento, para o ano vai ser ainda mais. Só para lembrar isto aos sportinguistas", referiu o treinador do Sporting.

A época foi também marcada pelos castigos a Rúben Amorim e pela polémica com a Associação Nacional de Treinadores de Futebol (ANTF ). Rúben Amorim garantiu que esta conquista não é, de todo, uma bofetada de luva branca em ninguém, mas não deixou de deixar algumas fartas. "Queria muito conquistar o título, não necessariamente por isso, mas por tudo o que se passa neste clube. Não sou associado da ANTF e nunca serei. Por isso é natural que eles defendam os seus treinadores. Agora só penso em seguir em frente", frisou.

Houve ainda tempo para Rúben Amorim dizer que seria bom terminar invicto esta I Liga, mas que tal não é uma prioridade. "Terminar sem derrotas é um objetivo. Mas vamos ter tempo de estrear outros jogadores, como o André Paulo, nosso terceiro guarda-redes e fico muito feliz por eles. A felicidade deles, para mim, é mais importante do que bater recordes", garantiu.

E, a fechar, Amorim admitiu até que copiou algo que viu Sérgio Conceição fazer, quando questionado sobre a importância que as bolas paradas tiveram neste título agora conquistado pelo Sporting."Os meus adjuntos fazem um excelente trabalho nas bolas paradas. Fizemos trabalho no aquecimento porque vimos o FC Porto fazer contra nós, se poder roubar coisas a outros treinadores fazemos. Reparámos que o FC Porto fazia e tinha todo o sentido. A nossa equipa foi forte nas bolas paradas, mérito é dos adjuntos, não tanto meu, parabéns a eles. Sobre o aquecimento, o míster Conceição faz isso, vimos na Taça da Liga e faz o todo o sentido", revelou.

Especial Sporting Campeão 2020/21: saiba tudo sobre o 19.º título dos Leões

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.