Rúben Amorim, na antevisão ao jogo frente ao Nacional, marcado para amanhã, abordou o que espera da equipa madeirense na partida que se realiza em Alvalade.

O técnico leonino falou ainda do clima de tensão que se vive no futebol nacional e no apoio que sente dos adeptos.

Recuperação da equipa: É sempre mais fácil quando ganhamos. Foi um esforço muito grande, houve jogadores que tiveram de correr muito. Fizemos esse trabalho, a equipa médica e técnica tem muita competência. Os jogadores estão recuperados para o próximo jogo.

Nacional: Já ficou provado que a classificação não quer dizer nada. Houve um troca de treinador e já se notam diferenças. O FC Porto teve muitas dificuldades com o Nacional e ganhou ao Guimarães. Estão a crescer, mas nós queremos fazer o nosso jogo, temos de ter muita atenção com a velocidade na frente. Temos que estar muito concentrados no jogo. Estudamos o Nacional e estamos preparados para o jogo.

Como treinador, como vê clima no futebol português: Cabe a todos nós melhorarmos o nosso comportamento, eu não tenho sido o melhor dos exemplos. O que tento fazer é que cada expulsão seja a última, faço esse trabalho mental. Eu acho que a falta de público ajuda a existam alguns excessos. O facto de não se falar de futebol e falar de outras coisas também dá jeito às vezes... Faz parte do jogo, do futebol, não é de agora. Sei que não tenho sido o melhor dos exemplos, vou tentar melhorar. É o única coisa que posso prometer, não vou dar lições de moral a ninguém.

Ser campeão na Luz seria especial: Não falamos no título, o que me dá prazer é ganhar jogos, ver os meus jogadores felizes e a crescer. Esse é o nosso foco, não falamos em título. Só os três pontos interessam e no final veremos as contas.

Sente que é o melhor treinador da I Liga: Não, de forma alguma. Tenho um grupo muito forte, uma estrutura que me ajuda e a tal estrelinha que me ajudou em alguns jogos. O passado já não conta, eu quero ser é melhor treinador no futuro. O que passou, passou. Sou bastante inexperiente, tenho muita coisa para melhorar. Não me sinto nada o melhor, sinto-me mais um, ansioso pelo futuro.

Apoio dos adeptos: Sim, é notório, as pessoas falam na rua. Existe essa pressão, essa ansiedade nos sportinguistas que nós enquanto estrutura temos que levar como carinho, mas saber que isto muda em relação aos resultados. O principal foco deve de ser aquilo que temos de fazer. Obviamente que o apoio dos adeptos é importante. Toda esta dinâmica que se criou à volta da equipa é boa, motiva, mas temos de nos abstrair disso e ser frios, sabendo que vamos defrontar uma equipa que nos pode ganhar.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.