No flash interview que se seguiu ao empate (1-1) na receção ao Rio Ave, Rúben Amorim, treinador do Sporting, reconheceu que a sua equipa facilitou um pouco depois de se ter visto em vantagem e que fica a dever a si própria o facto de não ter levado os três pontos.

"Tivemos uma primeira parte difícil, mas controlámos sempre muito bem. Fizemos o mais difícil, que foi marcar o golo, e na segunda parte queríamos que o Rio Ave pressionasse mais, porque nós não precisávamos de arriscar tanto. Mas perdemos o controlo do jogo, sofremos o golo do empate e depois houve muitas quebras e não conseguimos criar tantas situações. Só nos podemos queixar de nós próprios por não levar a vitória", começou por admitir.

Questionado sobre o que falhou, depois, na segunda parte, Amorim apontou o dedo a algum facilitismo por parte dos seus jogadores. "Não sei dizer ao certo, acho que foi toda a gente. Estivemos mais desconcentrados, pareceu que com o nosso golo, o jogo ficou mais fácil. E pagámos caro esse facilitismo. Não conseguimos dar a volta ao resultado e agora é seguir em frente", frisou.

Rúben Amorim recusou, ainda, abordar o lance de uma possível grande penalidade sobre Coates, à entrada para os cinco minutos finais. "Ainda não vi o lance. Mas a minha preocupação é melhorar a equipa", sentenciou.

Quanto ao facto de, pela primeira vez, poder poder ter dado indicações para o relvado por poder ter agora na ficha de jogo, finalmente, o estatuto de treinador principal, Amorim desvalorizou. "É melhor, mas não sabe tão bem por não ter ganho. Preferia ter de estar sentado, mas ganhar o jogo. Isso agora já não é uma questão", concluiu.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.