O novo treinador do Benfica, Rui Vitória, vai ter no plantel cinco futebolistas da formação ‘encarnada’ na próxima época, situação já bem conhecida do técnico que, em Guimarães, ajudou a potenciar três mãos cheias de jovens.

O primeiro a ser ‘promovido’ por Rui Vitória foi o extremo Ricardo Pereira, hoje no FC Porto.

A 11 de fevereiro de 2012, o técnico convocou pela primeira vez o então ainda júnior do Vitória de Guimarães (18 anos), para o jogo com o Beira-Mar, da 18ª jornada da I Liga.

Uma semana depois, chegou a confirmação de que a aposta seria para manter ao repetir a convocatória para a receção ao Benfica.

A sua verdadeira ‘explosão’, contudo, só se verificaria na época seguinte, em 2012/13: 36 jogos pela equipa principal em todas as competições, papel fulcral na conquista da Taça de Portugal ao marcar seis golos na competição, um deles na final diante do Benfica (2-1).

Outra aposta ganha de Rui Vitória foi o médio Tiago Rodrigues, sendo que os dois transferiram-se no final dessa temporada para o FC Porto.

Muito limitado financeiramente, Rui Vitória promoveu jogadores formados no Vitória, recuperou outros que os três ‘grandes’ não aproveitaram e descobriu mais alguns nas divisões secundárias, que são agora valores firmados no futebol português, como André André (ex-Varzim), hoje internacional português.

Esse seria também o ano do central Paulo Oliveira, hoje no Sporting, Marco Matias (melhor marcador português da última temporada ao serviço do Nacional) e Amidó Baldé, que sairia para o ‘gigante’ escocês Celtic.

Também em 2012/13, Rui Vitória utilizou, ainda que muito raramente, Hernâni, extremo que só esta temporada se afirmou, valendo ao Vitória encaixe financeiro por nova venda ao FC Porto a meio da presente época.

Na temporada seguinte, em 2013/14, Rui Vitória deu a conhecer ao futebol português mais alguns jovens jogadores: o defesa esquerdo Luís Rocha e o avançado Tomané, mais dois ‘produtos’ da formação vitoriana.

Este ano, o destaque, além de Hernâni, foram Bernard (médio ganês) e Alex, jogador com uma importante passagem pelas camadas jovens do FC Porto e internacional sub-20, mas que se encontrava ‘encalhado’ no Santa Clara.

Do Campeonato Nacional de Seniores (ex-Benfica de Castelo Branco) chegou o central João Afonso, da II Liga o avançado Ricardo Valente (ex-Leixões) ou o polivalente costa-marfinense Nii Plange, que evoluía na equipa B do Sporting.

Foi também o ano de afirmação do central Josué que, dispensado pelo Sporting depois de nove anos de formação ‘leonina’ terminou essa etapa nos juniores dos minhotos, e do médio Cafú, que se iniciou na ‘cantera’ vitoriana, mas que conta com cinco anos nas camadas jovens do Benfica.

Esta época chegou ainda a Guimarães o defesa direito Bruno Gaspar do Benfica B e o seu rendimento levou o clube a querer continuar com ele, o que deverá acontecer no âmbito precisamente da ida de Rui Vitória para os ‘encarnados’.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.