A SAD do Desportivo das Aves, último classificado da I Liga de futebol e já despromovido ao escalão secundário, admitiu hoje liquidar até segunda-feira os salários de abril e maio a jogadores e treinadores.

“Fizemos um acordo com os jogadores para reduzir 35% das verbas e iremos regularizar os dois meses em atraso, na melhor das hipóteses, até segunda-feira. Pelo menos um estará regularizado, mas sem reduzir efetivamente nada”, apontou à agência Lusa Estrela Costa, acionista da empresa Galaxy Believers, que gere o futebol dos nortenhos.

Em 06 de maio, fonte do emblema do concelho de Santo Tirso adiantou à Lusa que os salários de março seriam liquidados na totalidade e 35% dos vencimentos de abril e maio estariam cativados devido à paragem motivada pela pandemia de covid-19, sendo repostos em 05 de agosto e 05 de setembro, respetivamente, com o regresso da I Liga.

O incumprimento salarial abalou a segunda volta do Desportivo das Aves, que consumou a descida à II Liga em 29 de junho, ao ponto de ter originado as rescisões unilaterais do guarda-redes francês Quentin Beunardeau e do avançado brasileiro Welinton Júnior, desencadeadas em “dois processos diferentes que transitaram para a FIFA”.

“O processo do Beunardeau ainda não sofreu alterações e estamos a aguardar resposta”, resumiu Estrela Costa, sobre uma desvinculação apresentada em 07 de abril e a que a Comissão Arbitral Paritária da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) deu provimento ao antigo dono da baliza avense no final desse mês.

Já no caso de Welinton Júnior, que também estava vinculado até junho de 2022, os nortenhos defendem que “há determinadas condições que estavam cumpridas, foi pago o último salário adiantado assim que entrou no clube e não existiu qualquer razão na rescisão”, motivos que justificaram uma ação litigiosa movida pela SAD junto da FIFA.

“Fomos informados que o prazo de contestação terminou e nada foi entregue. Isso não quer dizer que vamos ganhar o processo, mas contestar algo que não tem contestação é um bocadinho difícil. Queremos o contrato do Welinton até ao fim e uma indemnização por danos que estão à vista. Realmente, foi uma perda muito grande para o Aves”, notou.

A SAD liderada pelo chinês Wei Zhao foi absolvida em 30 de junho da acusação de incumprimento salarial com jogadores e treinadores entre dezembro e março, mas aguarda pela resolução de outro processo idêntico, assente na ausência de documentos comprovativos quanto à regularização dos vencimentos dos meses de março e abril.

O assunto foi remetido da LPFP para o Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol em 09 de junho, podendo acarretar uma penalização de dois a cinco pontos, face aos 17 somados em 31 jornadas, numa altura em que o Desportivo das Aves disputará as três rondas finais apenas para cumprir calendário.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.