Erwin Sanchez, treinador do Boavista, fez o melhor que pode para explicar a goleada imposta pelos Dragões no Bessa.

“Não é simples tentar explicar tudo isto, mas quando temos um adversário como o FC Porto pela frente, é difícil. Tengarrinha e o Henrique lesionaram-se, fomos obrigados a fazer duas substituições, tivemos que mudar aquilo que tínhamos preparado antes”, começou por dizer o treinador boavisteiro, em conferência de imprensa, realçando que Iker Casillas deveria ter sido expulso.
“Se o Casillas tivesse sido expulso… Talvez o jogo tivesse mudado. Mas não foi assim. E depois a lesão do Correia... Fico com a dúvida se seria penalti. Depois ficamos com 10 jogadores, contra uma equipa forte como o FC Porto não podemos ficar tão abertos. E eles aproveitaram muito bem, foram eficazes”, explicou.

O Boavista foi obrigado a fazer três alterações por lesão, algo que complicou ainda mais a vida aos axadrezados.

“Não podemos controlar as lesões, temos é que trabalhar durante a semana, mas, da forma como queremos jogar, temos que estar mais disponíveis na parte física. Deus queira que não aconteçam mais lesões. Resta-nos olhar em frente, continuar. Agora, quarta-feira temos um jogo diferente, numa competição onde também temos tradição. Temos que dar a volta por cima”, afirmou.
O FC Porto bateu, este domingo, o Boavista por 0-5 no dérbi portuense, em jogo da 17.ª jornada do campeonato português, disputado no Estádio do Bessa. Herrera, Corona, Aboubakar (2) e Danilo fizeram os golos do FC Porto.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.