O treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, confirmou hoje os regressos de Zé Luís e Nakajima para o encontro com o Paços de Ferreira, uma equipa “bem organizada”, na 12.ª jornada da I Liga de futebol.

"Romário [Baró] não está disponível, Zé Luís e Nakajima já estão", disse Conceição, em conferência de imprensa.

Apesar do favoritismo e do histórico positivo em jogos entre as duas equipas a favor do FC Porto, o técnico dos ‘azuis e brancos’ não espera facilidades.

"Temos expectativas de fazer um bom jogo e ganhá-lo. Conquistar os três pontos contra uma equipa que depois da mudança de treinador não tem sofrido muitos golos, bem equilibrada, organizada, um bocado à imagem do Pepa e como organiza as suas equipas. É uma equipa difícil, mas temos de arranjar forma de ultrapassar as dificuldades", afirmou.

Sobre Aboubakar, decisivo no triunfo sobre o Young Boys (2-1), no seu regresso à titularidade, Sérgio Conceição lembrou o que tinha dito há cerca de dois meses, quando afirmou que o avançado camaronês “estava a passar um momento difícil, num processo em que tinha de ter muita paciência e um espírito de sacrifício muito grande para estar ao nível que estava antes da lesão”.

“Foi o que fomos trabalhando diariamente, à procura dessa forma ideal. Aboubakar não é um reforço. Ele sempre foi um reforço do FC Porto. Desde que estou aqui, ele e todos os jogadores que passaram pela minha mão têm aquilo que caracteriza um jogador do FC Porto, a atitude. Não só ele, mas todos", afirmou.

O colombiano Uribe continua sem jogar desde o problema disciplinar antes do jogo com o Boavista, em que terá desrespeitado o regulamento interno do clube, juntamente com Marchesin, Luís Diaz e Saravia.

"É opção. Houve um momento em que ele não jogou, no Bessa, e outros deram boa resposta. Agora tem de lutar para voltar à titularidade", garantiu.

Sérgio Conceição abordou ainda o facto de o FC Porto ter conseguido uma importante vitória frente ao Young Boys, a contar para a Liga Europa, e referiu que "trabalhar sobre vitórias é sempre mais simples".

"É sempre melhor trabalhar sobre vitórias. Fizemos uma grande segunda parte e, obviamente, os jogadores sentem isso. O ambiente não tem de ser de mais confiança. A confiança tem de estar diariamente no que é o trabalho dos jogadores e não ser afetado por um assobio ou aplauso. Obviamente que o humor ficou melhor. Senti o grupo com alegria para estes dois dias de trabalho. Foi uma vitória importante na Liga Europa e agora dependemos apenas de nós", terminou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.