Na época passada, o FC Porto deixou escapar o campeonato nacional e a Taça de Portugal, o que deixou a continuidade de Sérgio Conceição no clube em risco. O treinador português decidiu ficar, mas quis rever os seus 'poderes' dentro da estrutura dos dragões.

Segundo escreve o jornal desportivo 'O Jogo', Sérgio Conceição deixou claro que queria ter mais poder e que a sua permanência no clube dependia disso mesmo, algo que a SAD do FC Porto entendeu e atendeu.

Assim sendo, nesta altura, Sérgio Conceição junta várias funções à de treinador. Além de coordenar os treinos e jogos da equipa, o treinador é responsável pelo processo da formação, pelas contratações e até mesmo pelo processo de comunicação.

Sérgio Conceição: "É importante começar a perceber o que queremos para a equipa"
Sérgio Conceição: "É importante começar a perceber o que queremos para a equipa"
Ver artigo

Mas, um dos principais pontos de foco de Sérgio Conceição são as criticas à arbitragem. Na temporada passada, o treinador deixou de comentar as arbitragens para mostrar o seu descontentamento com os comentadores do Porto Canal.

Com a nova 'tomada de posse' na comunicação, Conceição exigiu que a arbitragem deixasse de ser comentada no canal do clube e que apenas possa ser abordada pelo próprio e pela administração do FC Porto.

Também o gabinete de gestão da comunicação e imagem da equipa principal foi ideia do treinador, que estava preocupado com a exposição dos seus jogadores nas redes sociais. Por fim, Sérgio Conceição criou ainda o cargo atribuído a Iker Casillas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.