Em entrevista ao Porto Canal após a conquista do título de campeão nacional ainda ontem, Sérgio Conceição abordou a forma como o seu plantel teve a disponibilidade e a aceitação daquilo que é o "ADN do FC Porto.

"Muitas vezes é difícil perceber e entender aquilo que é o verdadeiro ADN do FC Porto, porque tivemos muita gente que veio para o clube e que é difícil entender e perceber a nossa cultura. Mas foi gente muito disponível para aprender, para perceber que aqui há uma palavra que é mais importante que todas as outras, que é ganhar. A aceitação associada à qualidade que têm deixa-me orgulhoso. São jogadores que levam com um treinador que não é nada fácil, muitos deles miúdos, de uma geração diferente que o FC Porto tinha há uns anos atrás e não é fácil esse impacto. Daí eu dizer no final do jogo que o maior mérito é para estes jogadores que souberam acreditar num momento difícil, quando estávamos distantes do nosso rival, que era possível. Trabalhando no duro, boca fechada e com uma grande vontade e uma grande atitude sempre que pedimos esse espírito", disse.

Questionado sobre o que foi fundamental da sua parte para a conquista do campeonato depois de momentos complicados durante a época, Sérgio Conceição afirmou que o seu crer foi fundamente, principalmente nas alturas mais difíceis.

"O fundamental foi aquilo que é a minha essência, ser genuíno, perceber que faltavam muitas jornadas para acabar o campeonato, mesmo sabendo que estávamos a passar por momentos muito difíceis e que a maior dos adeptos deixaram de acreditar. Recebi mensagens nesse sentido, que roçaram o insulto, mas hoje estou aqui e posso dizê-lo, com muito orgulho sempre de representar este clube e estas cores que me dizem tanto. No fundo não fui mais do que aquilo que tinha de ser, percebendo que a minha forma de estar, a minha forma de pensar é exatamente a mesma que grandes homens que passaram por este clube e que fizeram deste clube um clube ganhador, como o nosso presidente. A partir desse momento, os jogadores perceberam que o líder, que o timoneiro da equipa acreditava verdadeiramente", afirmou, acrescentando de seguida que já olha para o próximo troféu no horizonte.

"Nesta casa ninguém desiste, estamos sempre todos muito focados. Obviamente que passamos momentos muito difíceis, como foi aquele período em janeiro em que perdemos em casa com o SC Braga e depois perdemos a Taça da Liga. Mas fomos à luta e estamos na luta, porque ainda temos a Taça de Portugal e como eu disse aos jogadores, no final do jogo, foi exactamente isso, para desfrutarem hoje, porque depois vamos começar a preparar a final da Taça de Portugal", revelou.

Admitindo que não é muito de festas e que já tinha a cabeça na preparação do jogo da próxima jornada com o Moreirense, o técnico deu ainda a conhecer o orgulho que sente pelo seu plantel campeão.

"Sinto um orgulho grande, estamos a falar de jogadores que alguns deles que quando chegamos há 3 anos não tinham a noção que podiam vir para o plantel do FC Porto. É um orgulho para mim ver jovens do clube e jovens que não pertenciam ao clube na sua formação mas que vieram para aqui e acrescentaram algo de importante. Foram importantes" , concluiu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.