O FC Porto tem dérbi marcado com o Boavista no Estádio do Bessa para este sábado, a partir das 21h00, e o treinador dos 'dragões', Sérgio Conceição, fez no centro de treinos do Olival a antevisão do encontro.

Encontro frente a um 'novo' Boavista, com muitas novidades no plantel

"Não será uma vantagem para nós eles não terem ainda a equipa muito mecanizada, nem uma desvantagem não conhecermos muito bem a forma como eles jogam. Conhecemos os jogadores do plantel, e da sua dinâmica de jogo temos como referência os particulares e este primeiro jogo que fizeram. Acho que o Boavista tem um plantel com qualidade e, com certeza, vai ser uma equipa interessante na nossa Liga".

Dificuldades nas últimas visitas ao Bessa

"Dos jogos que mais prazer tive em disputar foram estes jogos com o Boavista, porque tanto os nossos adeptos como os do Boavista são dos mais apaixonados pelos seus clubes. É um jogo com todos os ingredientes para que seja um encontro incrível e é uma pena que não estejam lá os adeptos este ano. Vamos fazer tudo, ainda assim, para que seja um grande jogo e para que regressemos com mais três pontos nesta nossa caminhada.

Boa prestação ofensiva do Boavista no arranque da Liga

O Boavista marcou três e sofreu três no primeiro jogo. Sinceramente, eu prefiro ganhar por 1-0 do que por 4-3. É a minha forma de pensar. É uma demonstração de uma equipa sólida. Está tudo associado ao que é o trabalho defensivo e ofensivo. O Boavista tem jogadores muito interessantes, nas alas jogam com pé contrário, procurando o espaço interior e fazendo combinações com os laterais, formando uma dinâmica muito boa. Estamos atentos a toda a dinâmica e à estratégia que eles poderão adotar. Cabe-nos, com todo o respeito, pensar em nós e no que vamos produzir.

Alterações na frente de ataque do FC Portos

Cada caso é um caso. O mais importante não é olharmos para o mercado, mas sim para o que se faz nos jogos. Por vezes variamos a nossa dinâmica, não a nossa forma de jogar, que essa está bem assente em quatro pilares fundamentais.  Depende sempre tudo muito do que é a nossa estratégia para o jogo e do adversário que temos pela frente. No último jogo joguei com o Marega na frente e com um jogador mais referência na frente de ataque. Mas nem sempre foi assim. Às vezes foi o Corona a estar naquele espaço central. Temos de perceber o adversário que vamos enfrentar. Tem muito a ver com o que se quer da equipa e da estratégia para cada jogo. Se jogamos com um ou dois na frente? Às vezes jogamos com cinco...

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.