Paulo Faria, empresário de Mahmoud Shikabala, desferiu acusações duras sobre o avançado egípcio que iria iniciar a segunda temporada em Portugal. O jogador parece ter atingido o fim da linha no Sporting, um mal-estar que começou ainda na pré-época, aquando da sua retenção no Egito devido a problemas com a documentação relativa ao serviço militar obrigatório.

“Ele não pediu o papel e já sabia que ia ficar no Egipto dois ou três dias de férias. Nesses dias, não atendeu o telefone à entidade patronal e isso não se faz. Ele provocou tudo e ele próprio sabe que provocou. Estamos a falar de uma equipa [Sporting] que luta para ser campeã. Se todos os jogadores achassem que deveriam ter esse comportamento, íamos ver onde o clube ia parar”, começou por dizer em declarações à Rádio Renascença.

Depois do incidente, o avançado de 28 anos acabou por ser castigado, tendo integrado a formação B do clube, mas o representante do atleta não fica por aqui. “Fica um ano e meio sem competir, vem para o Sporting com o comboio a meio e não conseguiu apanhar esse comboio. Depois, ainda faz toda a porcaria que tem feito. Isso é estar a gozar com as pessoas que trabalham com ele e com as pessoas do clube”, atirou depois.

Paulo Faria revelou que Shikabala, a contas com um processo disciplinar aplicado pelo Sporting, teve uma proposta para sair de Alvalade a título de empréstimo mas que este preferiu ficar. “Tínhamos a proposta para o Shikabala sair, chegámos a acordo com esse clube grego e com o Sporting. Era um empréstimo de um ano para ele poder jogar. A uma hora do fecho do mercado, o Shikabala desligou o telefone e o agente dele no Egito diz que o jogador não tem interesse em ir para lado nenhum e que ele queria ficar no Sporting. Ele pensava que ia ficar e que ia jogar. Eu disse-lhe que ele não ia jogar, nem na equipa 'A' nem na equipa 'B'. As pessoas querem vê-lo fora dali”, assegurou.

No entanto, há ainda a hipótese de o atleta voltar ao Egito, onde o antigo clube se disponibiliza a recebê-lo novamente e o mercado apenas fecha a 5 de setembro.
“Pode haver agora a possibilidade do mercado do Egito, aberto até amanhã [5 de Setembro]. Há a possibilidade de o Shikabala regressar ao Zamalek, mas as coisas não estão muito fáceis. A opção de não sair para a Grécia foi uma tontice. As coisas estavam todas certas, não houve entraves da parte do Sporting e agora estamos a aguardar. A intenção do Shikabala é regressar ao Egito ou ir para a Arábia. São as duas hipóteses que estão em cima da mesa”, concluiu o empresário.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.