No dia da trasladação do corpo de Eusébio para o Panteão Nacional, António Simões admitiu as saudades que sente do "Pantera Negra".

"Sinto falta dele, de um homem que tinha uma memória extraordinária. Tenho uma enorme saudade de estar com ele. Aquele pequeno sorriso que ele tinha, aquele gesto tolerante, aquela capacidade de ouvir que revelava um gesto de enorme humildade", disse Simões durante a cerimónia.

"À medida que os anos foram passando viu-se que ele era diferente dos outros, para melhor. Ele passou a ser herói não só por jogar futebol, mas por aquilo que o povo fez dele", salientou também.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.