O Sindicato dos Jornalistas (SJ), através de um comunicado, denunciou a existência de "agressões verbais" dirigidas a um jornalista no Estádio do Dragão, após o FC Porto-Sporting, disputado no sábado. Em causa esteve uma questão colocada a Rúben Amorim sobre o número de vezes que o banco do FC Porto se levantou para contestar decisões da arbitragem.

O SJ considera que, durante a conferência de imprensa após o encontro, o jornalista "foi humilhado pelo treinador do Futebol Clube do Porto e insultado pelo assessor de comunicação".

"Após este episódio, presenciado em direto por milhões de pessoas e in loco por vários jornalistas presentes na sala de imprensa do estádio, o jornalista tinha à sua espera um outro funcionário do clube, que continuou com os insultos. Já no exterior da zona destinada à imprensa, encontravam-se vários elementos da estrutura portista e os insultos prosseguiram. O jornalista foi ainda perseguido por um assessor, ao longo de vários metros, sempre sendo alvo de agressões verbais", pode ler-se na mesma nota.

"O SJ denuncia esta tentativa de assédio ao jornalista e realça que uma sala de imprensa é um espaço de liberdade, onde as questões podem e devem ser feitas, e não pode ser um local de intimidação e censura. Além disso, as fontes têm ao seu dispor mecanismos de queixa em relação ao trabalho dos jornalistas, sendo completamente desnecessário este tipo de atitudes", conclui.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.