João Bartolomeu, presidente demissionário da SAD da União de Leiria, disse que era «um alvo a abater», um «incómodo para muita gente», mas não quis alongar-se sobre quem o quererá abater.

«Ando aqui há 25 anos, sei muita coisa», disse esta tarde em conferência de imprensa, onde anunciou que a União de Leiria vai a jogo com o Benfica, este sábado, contrariando o que tinha ‘prometido’ esta quinta-feira.

O dirigente decidiu voltar atrás na decisão, disse, por respeito aos oitos jogadores e  a quem apoiou a equipa no último encontro na Marinha Grande, na receção ao Feirense.

«Tiveram um comportamento brioso, que lutaram até à exaustão e apesar de ser demissionário e nunca mais quero voltar, é importante que nós não abandonemos as pessoas que nos apoiaram no passado domingo», frisou.

Em relação aos jogadores que rescindiram – 16 inicialmente, 13 após três voltarem atrás – voltou a referir que a situação está entregue ao departamento jurídico e que vai avançar «para os tribunais cívis». «Somos credores e não devedores».

Além disso, João Bartolmeu começou por acusar a Câmara Municipal de não dar apoio ao emblema.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.