No domingo, o Sporting rescindiu "com efeitos imediatos" os protocolos que celebrou em 31 de julho com a Associação Juventude Leonina e com o Diretivo Ultras XXI – Associação, devido à "escalada de violência" recente.

Esta manhã, José Sousa Cintra falou à rádio Antena 1 sobre a decisão de Frederico Varandas e admitiu que "as claques têm de ter um papel mais civilizado, com mais ética e respeito pelo clube".

"Quando fui presidente do Sporting, tive sempre a melhor relação com as claques. De quando em quando havia qualquer coisa que corria menos bem, mas dialogávamos e resolvíamos as coisas", lembrou Sousa Cintra, acrescentando que as claques "fazem falta".

O que perdem as claques Juve Leo e Directivo Ultras XXI com o fim do protocolo com o Sporting
O que perdem as claques Juve Leo e Directivo Ultras XXI com o fim do protocolo com o Sporting
Ver artigo

O antigo presidente do Sporting referiu ainda que "parece que está a haver uma grande turbulência, mas isso cabe ao presidente resolver. Ele é que sabe, ele é que está lá dentro e sabe o que se está a passar".

"O que o Sporting precisa é de paz, de tranquilidade e de se reencontrar com as vitórias para que as coisas corram bem. O que se está a passar não é próprio de um clube com a dimensão do Sporting. Ninguém ganha com isso", concluiu Sousa Cintra.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.