O Sporting recebeu e venceu o Paços de Ferreira por 2-0 em partida da 28.ª jornada da I Liga, colocando-se (à condição) a três pontos o líder FC Porto (que segunda-feira recebe o Santa Clara) e alargando para nove os pontos de vantagem sobre o terceiro classificado, o Benfica (que sexta-feira perdeu na visita ao SC Braga.

A jogar em casa, os leões estiveram longe de realizar uma exibição de encher o olho, sobretudo na primeira parte, mas ganharam vantagem a meio do primeiro tempo na sequência de uma grande penalidade convertida por Sarabia e, no segundo tempo, depois de Rúben Amorim mexer e travar a reação do Paços, chegaram ao segundo golo (que arrumou com a questão), assinado por Nuno Santos.

Primeiros minutos sem ocasiões de golo

Com algumas mexidas no onze - Slimani, que vinha sendo titular mas sofreu um toque ao serviço da Argélia na paragem para as seleções, começou no banco e, na ala esquerda, Nuno Santos jogou de início - o Sporting começou instalado no meio campo contrário, mas sem impor grande velocidade.

Os leões não criaram qualquer lance digno de registo nos dez minutos iniciais, não chegando sequer perto de ameaçar a baliza de André Ferreira, e até foi o Paços de Ferreira que, num contra-ataque rápido, obrigou Adán a mostrar-se atento para afastar com uma palmada um cruzamento rasteiro que poderia levar perigo.

Grande penalidade desbloqueia jogo

Porém, mesmo sem acelerar, o Sporting acabou por marcar na primeira oportunidade de que dispôs. Na sequência de uma bonita jogada de entendimento entre os seus homens da frente, Paulinho surgiu isolado na cara de André Ferreira, ladeou o guarda-redes do Paços e, quando se preparava para rematar, acabou por cair. O árbitro da partida, Vítor Ferreira, começou por mostrar cartão amarelo ao avançado leonino, por simulação mas, alertado pelo VAR, foi rever as imagens e acabou por assinalar mesmo grande penalidade.

Na transformação do castigo máximo, Pablo Sarabia mostrou a eficácia que tem vindo a demonstrar nos últimos tempos e abriu o ativo. O espanhol já leva 16 golos de leão ao peito.

VÍDEO: Veja o lance da grande penalidade que deu vantagem ao Sporting frente Paços de Ferreira
VÍDEO: Veja o lance da grande penalidade que deu vantagem ao Sporting frente Paços de Ferreira
Ver artigo

Em desvantagem, o Paços procurou começar a ter mais tempo a bola e conseguiu fazê-lo, com o Sporting a manter o mesmo ritmo não muito elevado. Porém, com o adversário a conceder agora mais espaços, a turma leonina ficou perto do 2-0 à passagem da meia-hora de jogo. Cruzamento de Porro na direita e Pedro Gonçalves a rematar ligeiramente por cima, em posição frontal, já dentro da grande área contrária.

Até ao intervalo, o Paços foi mostrando alguns momentos de futebol de qualidade, com bonitas trocas de bola, mas só em cima do minuto 45 colocou Adán à prova. Remate rasteiro de e o guarda-redes espanhol a defender de forma algo apertada, mas com segurança.

Paços entra melhor no segundo tempo, mas Amorim mexe e Sporting volta a dominar

A segunda parte começou como havia acabado a primeira: com o Paços a crescer e a instalar-se, cada vez mais, no meio campo do Sporting. A defesa dos atuais campeões nacionais ia resolvendo com maior ou menor dificuldade os problemas, mas a ansiedade ia crescendo em Alvalade, ao ponto de se chegarem a escutar alguns assobios por parte dos adeptos.

Vendo a equipa a passar por alguns problemas, Rúben Amorim resolveu mexer: tirou Palhinha (que regressou à titularidade) e Pedro Gonçalves para fazer entrar Ugarte e Marcus Edwards. As mexidas resultaram e, a partir da hora de jogo o Sporting voltou a mandar na partida, com as ocasiões de golo para os leões, enfim, a surgirem.

André Ferreira e ferros da baliza do Paços adiam segundo ao Sporting, mas Nuno Santos não perdoa

O Sporting passou, então, pela sua melhor fase no encontro. Aos 66 minutos, o recém-entrado Edwards meteu de calcanhar para Matheus Nunes, que rematou forte e colocado, com André Ferreira a defender contra o poste e a ceder canto. Logo depois, no seguimento do canto, a bola chegou ao segundo poste, onde Edwards apareceu a desviar de pé direito, com a bola a embater na barra e no poste e André Ferreira, em esforço, a conseguir agarrar definitivamente o esférico.

Depois, foi Ugarte a testar as qualidades do guardião forasteiro, antes de Pablo Sarabia, com um fantástico remate em jeito, acertar, também ele, na trave da baliza do Paços.

Adivinhava-se o segundo golo dos leões, que surgiu mesmo pouco mais tarde. Grande passe de Ugarte a lançar Nuno Santos, que ganhou a frente a Hélder e perante André Ferreira colocou a bola por entre as pernas do guarda-redes pacense para o 2-0, sentenciando o encontro.

Com uma vantagem agora mais confortável, o Sporting voltou a baixar a intensidade, o Paços também pareceu baixar os braços e o resultado não sofreu mesmo mais alterações. Os leões ficam agora à espera de ver o que o FC Porto faz segunda-feira, no Estádio do Dragão, ante o Santa Clara, enquanto o Paços, que vinha de duas vitórias seguidas, segue num tranquilo 9.º lugar na tabela classificativa.

Veja o resumo do Sporting-Paços de Ferreira:

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.