O Sporting vai "cumprir com todas as suas responsabilidades" na contratação de Rúben Amorim. A garantia foi dada por Francisco Salgado Zenha, administrador da SAD do Sporting responsável pela área financeira, à Sport TV, sobre o atraso nos pagamentos ao SC Braga referentes a contratação do jovem técnico.

A primeira tranche da transferência não foi paga mas tal deveu-se a uma "gestão séria e preocupada tendo em conta o contexto atual" adotada pelo clube.

"Uma coisa é certa: estamos numa situação, a passar um contexto nunca antes visto, e é absolutamente ridículo andarmos a falar em atrasos de pagamentos a fornecedores de menos de um mês ou quinze dias - o que quer que seja. O Sporting, pela primeira vez na sua história, anunciou um lay-off, não é o único, é um país inteiro, um mundo inteiro. O FMI acabou de anunciar que Portugal terá a maior quebra de sempre do seu PIB. Estamos a falar de um contexto completamente anormal. Ou não se percebe em que contexto se está ou não se percebe como é gerir uma empresa. Temos feito uma gestão séria e preocupada, tendo em conta o contexto", sublinhou, à Sport TV, o o vice-presidente e administrador da SAD responsável pela área financeira do Sporting.

O homem responsável para a área financeira do Sporting diz-se preocupado com a crise que se instalou no futebol devido a pandemia de COVID-19 e com a falta de informações sobre quando vai voltar o futebol aos estádios.

"Alguém acredita que o Sporting ou outro clube está a vender bilhetes de época em junho ou julho, como se o contexto não fosse diferente? Vou ter os estádios abertos em agosto em setembro? Tenho essa garantia? Eu acho altamente improvável que as coisas estejam normais nesses meses. Não é só uma gestão preocupada com o dia de hoje ou de amanhã, é também a preparar o que vem a seguir", reforçou.

Salgado Zenha sublinhou que o Sporting está a tentar "a maior almofada possível" para ultrapassar esta crise, criando condições para a mitigar ao máximo.

Questionado se a dívida ao SC Braga tinha ultrapassado os 13 milhões de euros (13,8 ME) e que a mesma teria de ser paga até esta sexta-feira, Salgado Zenha garante que a verba falada na comunicação social é um 'não assunto'.

"Deixem-me desmistificar, primeiro, o tema do IVA. Tipicamente, não se fala em IVA. Não se falou no Rafa, no Loum... Quando o IVA é dedutível, falar dele é sensacionalista. Eu pago mas vou buscá-lo. Os 2,3 milhões é um não assunto. Depois, tudo o que são penalidades, juros, o que lhe queiram chamar, nesta fase de facilidade de provar circunstâncias, não têm peso nenhum. Temos 10 milhões de euros para pagar ao Braga, num determinado plano de pagamentos, que está previsto. Há uma alteração de circunstância e contexto. Estou confortável com isso" frisou o dirigente

Salgado Zena garante que não há risco nenhum de o Sporting ficar fora das provas da UEFA caso o SC Braga avance com uma queixa.

"Nenhum contrato financeiro celebrado este ano entraria para o fair-play financeiro desta época. Para além disso, a FIFA e a UEFA compreende as dificuldades e, mesmo se precisasse, tinha um mês extra. Isso não tem cabimento algum. Não está minimamente em risco. Aliás, posso dizer: tenho 15 dias para o cumprir e já o temos cumprido".

Sem querer entrar em detalhes sobre o contrato que levou Rúben Amorim a Alvalade, Salgado Zenha garante que o Sporting tem cumprido com todos os prazos de pagamentos antes da entrada em vigor do estado de emergência que vigora em Portugal, devido a pandemia de COVID-19.

"De uma forma genérica, o Sporting não falhou nenhum pagamento relevante, relativo a acordos com determinada importância, deste estilo, antes do estado de emergência. O Sporting pretende cumprir com as suas responsabilidades, estamos é a fazer uma gestão racional e cuidada. O que surgiu depois da crise alterou a nossa postura. Tudo o que foi antes da COVID-19, cumprimos. Se houve alteração do pagamento, foi por alteração do contexto. Vamos cumprir com as nossas responsabilidades. Está previsto na lei alterações de circunstâncias fundamentadas por alterações anormais de contexto, após assinatura de contrato. E não existe alteração mais anormal do que esta", garante.

Na entrevista à Sport TV, Salgado Zenha lembrou que o Sporting também tem fornecedores que estão a falhar os prazos de pagamentos, devido a crise que se instalou no mundo do futebol

"Tenho clientes quem me estão a falhar pagamentos. Uns há meses, outros desde a pandemia e outros que já me disseram que, na posterioridade, querem alterar condições assinadas. O que acontece é que determinados clubes esquecem-se do contexto e tentam jogar com os media para criar pressão. Se o SC Braga o tenta? Não faço ideia. Se o está a fazer, fá-lo mal, porque o contexto é claro para todos", rematou.

"Fomos claros com todos os fornecedores: há um contexto novo. Esta administração teve dos atos mais difíceis que tivemos: fazer um lay-off a trabalhadores. Quero agradecer-lhes, tal como aos jogadores, que estão a fazer um esforço enorme num momento difícil. As receitas desta industria, em certas áreas, tiveram cortes totais", concluiu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.