O Sporting vai ter de realizar operações financeiras que permitam à SAD leonina realizar um encaixe de 30 milhões de euros até o final do mês de junho, escreve esta terça-feira o diário O JOGO.

Segundo o referido jornal desportivo, a situação financeira da SAD leonina agravou-se com o processo Doyen e com ausência da Liga dos Campeões, o que vai obrigar o Sporting a negociar a transferência de jogadores até ao fim do atual exercício, sob risco de ficar com medidas ainda mais limitativas.

Os 'leões' têm agora de tapar um buraco de 30 milhões de euros resultantes do processo Doyen (14 milhões) e da ausência da 'Champions' (16 milhões), face ao acordo estabelecido com a banca no plano de reestruturação financeira em que o Sporting comprometeu-se a não apresentar resultados negativos no final de cada exercício, sob pena de ver agravadas as medidas restritivas que já limitam a ação da SAD.

Com um prejuízo de 18 milhões de euros apresentado no primeiro semestre, devido ao desfecho do caso Doyen e do agravamento com os custos com pessoal, nomeadamente com a contratação de Jorge Jesus e dos salários dos reforços Teo Gutiérrez, Bryan Ruiz e Aquilani, tornou-se imperativo que o Sporting realize uma receita mínima de 30 milhões de euros para o reequilíbrio financeiro da SAD leonina.

De acordo com o referido diário, João Mário e Slimani são os jogadores na linha da frente para realizar o encaixe pretendido, sendo que o internacional português tem uma cláusula de 60 milhões de euros, e o clube só aceite negociar a partir dos 30 milhões de euros, valor esse que também poderá abrir as portas de saída a Slimani.

Para além de João Mário e Slimani, o Sporting tem expectativas em relação a William Carvalho, Adrien e Rui Patrício, nomeadamente depois do Euro2016 em França.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.