Antes do apito inicial assistiu-se a um momento arrepiante em Alvalade. O minuto de silêncio dedicado pelas duas equipas ao recentemente falecido João Morais, antigo jogador do Sporting, depressa se transformou numa enorme ovação. Apesar dos poucos adeptos que esta noite se encontram no estádio do Sporting, João Morais teve a homenagem devida.

Quanto ao jogo propriamente o público de Alvalade voltou a arrepiar-se mas pelas piores razões. Fábio Júnior é sem dúvida o melhor jogador do ataque da Naval 1º de Maio e hoje voltou a prová-lo. O avançado da equipa da Figueira da Foz foi um quebra-cabeças para a defensiva leonina, especialmente no segundo tempo.

Aos 56 minutos mostrou-o da melhor forma ao apontar de cabeça o primeiro e único golo do encontro com que a Naval derrotou o Sporting.

A equipa de Carlos Carvalhal tentou ao longo de toda a partida alvejar a baliza de Peiser, mas hoje os jogadores leoninos estavam em dia não.

Por mais oportunidades que Liedson, Djaló e os restantes companheiros de ataque tivessem, era claro que a bola não ia entrar. Faltou sempre algo ao ataque do Sporting para poder concretizar com sucesso.

Apesar da derrota, o Sporting lá conseguiu atingir o objectivo proposto pelo presidente, José Eduardo Bettencourt a meio da temporada: o quarto lugar. Se o atingiu hoje não foi por mérito próprio, mas sim pelo facto de o seu “adversário directo”, o Vitória de Guimarães, não ter conseguido vencer o Rio Ave.

O treinador leonino, Carlos Carvalhal, não queria com toda a certeza despedir-se desta forma de Alvalade, debaixo de um enorme coro de assobios entoado pelos 16 mil adeptos presentes no estádio de Alvalade.

Na sua forma de jogar, o plantel do Sporting mostra só querer uma coisa, que esta temporada termine o mais depressa possível.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.