O Sporting inicia a época 2019/20 de futebol uma semana depois de ter sido goleado por 5-0 pelo Benfica na Supertaça, sem vitórias nos jogos de pré-época, e ainda com dúvidas sobre a continuidade do influente Bruno Fernandes.

A possível saída do capitão foi notícia durante toda a preparação dos ‘leões’, mas nunca levou o técnico Marcel Keizer a testar alternativas táticas sem o melhor jogador da edição 2018/19 da I Liga e autor de quatro dos oito golos do Sporting na pré-temporada.

O Sporting chega no domingo ao terreno do Marítimo, onde não vence há três épocas, à procura da primeira vitória no tempo regulamentar desde 05 de maio, quando goleou em casa o Belenenses por 8-1, na 32.ª jornada da temporada passada.

Na primeira temporada preparada pelo técnico holandês, que em novembro do ano passado substituiu Tiago Fernandes, o ‘interino’ que ocupou o lugar de José Peseiro, os ‘leões’ estagiaram na Suíça, onde perderam por 2-1 com o Rapperswill, do terceiro escalão, e empataram 2-2 com o St. Gallen.

Num jogo disputado à porta fechada, os ‘leões’ perderam por 1-0 com o Estoril Praia, e depois por 4-3 no desempate por penáltis, com os belgas do Club Brugge, após um empate a dois golos.

Antes da derrota por 2-1 frente aos espanhóis do Valência, na apresentação aos sócios, o Sporting empatou a dois golos, nos Estados Unidos, com ingleses do Liverpool, atuais campeões europeus.

Sem dinheiro para grandes contratações, o Sporting comprou o defesa francês Valentin Rosier, ao Dijon, o médio brasileiro Eduardo ao Belenenses, e o avançado argentino Luciano Vietto, que jogava no Fulham, por empréstimo do Atlético de Madrid.

A Alvalade chegaram ainda o jovem avançado Rafael Camacho, que na última temporada esteve na academia do Liverpool e fez um jogo pela equipa principal dos ‘reds’, e o central Luís Neto, cuja contratação já estava acertada desde janeiro, e que em junho terminou contrato com os russos do Zenit São Petersbugo.

O defesa internacional português foi o único reforço que Marcel Keizer utilizou no Estádio Algarve, frente ao Benfica, apresentando-se com um inesperado e pouco eficiente esquema de três centrais formando por Neto, Coates e Mathieu.

Em sentido inverso, o clube perdeu o guarda-redes Salin, para o Rennes, emprestou o médio Francisco Geraldes ao AEK Atenas e deixou fora do plantel principal os defesas Jefferson e André Pinto e o médio Petrovic.

Sem conquistar o título desde 2001/02, o Sporting já igualou o maior ‘jejum’ da sua história, os 18 anos que mediaram entre as vitórias nos campeonatos de 1981/82 e 1999/2000.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.