A informação esta a ser avançada pela imprensa nacional.

Os trabalhadores do Sporting terão sido avisados esta manhã que iriam entrar em regime de lay-off por Frederico Varandas e Francisco Zenha, presidente e vice-presidente da SAD leonina, através de videochamada.

De acordo com fonte oficial à Agência Lusa, este processo vai durar, pelo menos 30 dias, durante os quais 60% dos funcionários ‘leoninos’ estão suspensos e 26% sofrem redução salarial e do tempo de trabalho.

“Além de garantir a sustentabilidade, foi a forma de garantir que ninguém, nem mesmo trabalhadores a prestação de serviços [recibos verdes], seria despedido”, sublinhou a mesma fonte.

Segundo o jornal Record além do lay-off alguns trabalhadores deverão passar a tempo parcial. O matutino avança ainda na sua edição online que os prestadores de serviços e por contra própria receberão igualmente o valor do lay-off, com o clube a garantir a manutenção dos postos de trabalho.

Este anuncio acontece dias depois do Sporting ter anunciado uma redução salarial para os jogadores do plantel principal e para a administração do clube, no qual se inclui Frederico Varandas.

No passado sábado ficou a conhecer que os jogadores da equipa profissional do Sporting chegaram a acordo com a direção do clube para uma redução salarial de 40% nos meses de abril, maio e junho, sendo que de acordo com a imprensa nacional esse valor poderá vir a ser totalmente restituído dependendo da época desportiva de 2020/2021. 

No mesmo dia, foi anunciada a redução nos salários da administração da SAD do Sporting, presidida por Frederico Varandas.

A redução é de 50% e aplica-se nos mesmos meses que o corte aos jogadores (abril, maio e junho).

O Sporting torna-se assim no primeiro 'grande' do futebol português a tomar tais medidas e a seguir o exemplo do Belelenses SAD que no passado dia 6 de abril entrou "parcialmente" em regime de lay-off. 

O anuncio da medida surge no mesmo dia em que a  ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, em audição no parlamento, deu conta que a media do 'lay-off' simplificado já abrange mais 930 mil trabalhadores em Portugal.

"Neste momento é que o 'lay-off' simplificado já atingiu os 931 mil trabalhadores que viram os seus postos de trabalho mantidos. É conseguido, de alguma forma, que o 'lay-off' simplificado esteja a servir como almofada para manter os postos de trabalho durante esta fase que atravessamos", disse, citada pela Agência Lusa.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já provocou mais de 124 mil mortos e infetou quase dois milhões de pessoas em 193 países e territórios.

Dos casos de infeção, cerca de 413.500 são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registam-se 599 mortos, mais 32 do que na terça-feira (+5,64%), e 18.091 casos de infeção confirmados, o que representa um aumento de 643 (+3,69%).

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde 19 de março e até ao final do dia 17 de abril.

 *Com Lusa

**Ultima atualização às 13h48

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.