Benfica e FC Porto entram em campo para disputar um dos clássicos mais quentes dos últimos anos: os dragões podem sagrar-se campeões na luz pela 25.ª vez, algo que as águias procuram evitar a todo o custo em sua casa.

Para este clássico, perante a lesão de Maxi Pereira, Jorge Jesus promove a entrada de Airton no onze ficando por saber se o brasileiro jogará no lugar do uruguaio ou se ocupará o centro da defesa, derivando Sidnei para o flanco direito.

No ataque nova surpresa de Jesus, com Cardozo a ficar no banco e a dar lugar a Franco Jara. O paraguaio treinou condicionado durante a semana e não estará certamente nas melhores condições físicas.

Do lado do FC Porto, André Villas Boas não apresenta grandes novidades: Guarín e Fernando serão a dupla a meio-campo, Fucile ocupa o lugar de defesa direito e Hulk regressa à Luz depois do episódio do túnel.

Em Lisboa, um triunfo dos dragões assegura o seu 25.º título de campeão português, pela segunda vez na história em terreno “encarnado”, pois os portistas também garantiram a conquista do campeonato de 1939/40 com uma vitória sobre o Benfica (3-2) na última jornada, no Campo das Amoreiras.

Mais, em caso de derrota, o Benfica pode vir a perder o estatuto de único campeão de sempre sem derrotas, embora fiquem a faltar cinco encontros ao FC Porto para manter a invencibilidade.

No particular “duelo” de treinadores, entre o “graúdo” Jorge Jesus (56 anos) e o “miúdo”, André Villas-Boas (33), o mais experiente ganhou três jogos e perdeu dois, nos cerca de 17 meses que levam de “convivência”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.