A transferência do internacional japonês Nakajima do Portimonense para o Al Duhail, do Qatar, permitiu ao emblema algarvio realizar um encaixe financeiro importante para o futuro.

De acordo com o principal acionista da SAD do Portimonense, Theodoro Fonseca, o projeto do clube algarvio está garantido pelo menos para os próximos dez anos.

"Não é a necessário vender mais ninguém, pois a transferência de Nakajima (para o Al Duhail, do Qatar, em janeiro) alimenta o nosso projeto por pelo menos dez anos", começou por dizer o dirigente em entrevista ao portal brasileiro 'Goal'

Theodoro Fonseca explicou ainda como é que o Portimonense pretende "manter os principais jogadores do plantel".

"Todos [os jogadores] têm cláusulas de rescisão altas, entre os 30 e os 40 milhões de euros, mas mesmo assim não posso garantir a continuidade de ninguém", explicou Theodoro Fonseca dando depois o exemplo de Bruno Tabata, que está ao serviço da seleção olímpica do Brasil.

"[Tabata] É um fora de série e o assédio é enorme. Passou por cima de diversos problemas familiares e está pronto para qualquer desafio profissional. Tivemos agora uma proposta do Palmeiras, rejeitada, pois o jogador não pretende regressar ao Brasil", atirou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.