“Não foi o início de jogo que queríamos e o mais agradável, mas, com o dia que estava, era previsível que acontecem golos”, disse Ulisses Morais, garantindo que sempre confiou na vitória da equipa, provisoriamente em igualdade pontual com o Sporting.

O segredo foi nunca deixar de acreditar: “Conseguimos o mais importante, que era nunca desacreditar. A cada golo reagimos sempre, de forma a dizer que estávamos no jogo. Gostaríamos de não ter sofrido três golos, mas estamos felizes por termos marcado cinco”.

O técnico da formação nortenha disse ainda ter-se tratado de um “jogo extremamente interessante” e garantiu que só vai pensar no Benfica a partir de segunda-feira: “Não vou mudar o discurso, tenho a noção exacta da realidade. Pensar no próximo jogo é a filosofia que temos seguido e o que nos tem feito crescer”.

Ulisses aproveitou ainda para dedicar a vitória a Baiano, substituído aos 22 minutos, por lesão, tendo sido suturado com 14 pontos na perna direita, sendo ainda certo o seu afastamento dos relvados nos próximos jogos.

Por seu lado, o treinador do Vitória de Setúbal, Manuel Fernandes, lamentou o resultado negativo, mas elogiou os seus jogadores, dizendo terem sido “excelentes”.

“O futebol é uma caixinha de surpresas e por isso é tão belo. Ao contrário do que aconteceu no último jogo, hoje os meus jogadores foram excelentes. Jogámos olhos nos olhos, mas apanhámos uma boa equipa, com jogadores muito rápidos”, disse Manuel Fernandes.

O técnico dos sadinos disse ainda ter acreditado na reviravolta, quando a sua equipa reduziu para 3-2, aos 51 minutos, considerando que o quarto golo do Paços de Ferreira, apontado quatro minutos depois, aos 55, foi um duro golpe.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.